31 de maio de 2016 • 11:26 am

Brasil » Política

Deputado votou pelo pai ‘honesto’ que, segundo o MP, é líder de quadrilha

Primeiro foi a deputada que votou pelo marido, preso no dia seguinte. Agora o pai do deputado tucano Caio Nárcio, que está com prisão preventiva decretada.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
 Depois do caso da deputada federal mineira Raquel Muniz que votou no impeachment de Dilma “pela honestidade do marido” e ele, prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz, foi preso no dia seguinte por corrupção, agora surge um outro caso tão emblemático quanto.
Trata-se do deputado federal Caio Narcio (PSDB-MG). Ele proferiu o voto favorável ao impeachment, com todas as bravatas que tinha direito, da seguinte forma:
 “Por um Brasil aonde meu pai e meu avô diziam que decência e honestidade não eram possibilidade, eram obrigação”, disse Caio antes de votar a favor do impeachment. O deputado encerrou a fala com a citação: “Verás que um filho teu não foge à luta”.
Acontece que o pai do deputado, o senhor Nárcio Rodrigues, ex-deputado e ex-presidente do PSDB de Minas Gerais, foi denunciado em delação premiada na Operação Aequalis, deflagrada ontem, segunda-feira, 30,  como o líder de um esquema que desviou pelo menos R$ 14 milhões  das obras de construção da ‘Cidade das Águas’ de Frutal, no Triângulo Mineiro.

As investigações, lideradas pelo Ministério Público de Minas Gerais, motivaram seis prisões de políticos e empresários na manhã desta segunda-feira.

Segundo o MP, os desvios ocorreram entre 2012 e 2014 no estado, durante o governo de Antônio Anastasia, do PSDB, que é o relator do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado.

As fraudes tinham como objetivo levantar recursos para campanhas políticas no ano passado, segundo apontam as delações.

Ex-secretário de Ciência e Tecnologia de Anastasia, Nárcio Rodrigues é também muito próximo ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Na Operação, foram presos Neif Chala, ex-servidor da Sectes, Alexandre Pereira Horta, engenheiro do Departamento de Obras Públicas de Minas Gerais, Luciano Lourenço dos Reis,  funcionário da CWP Engenharia Ltda e Maurílio Reis Bretas,  sócio administrador da CWP. A operação prendeu também Hugo Alexandre Timóteo Murcho, que é diretor no Brasil da da multinacional portuguesa Yser e da empresa Biotev Biotecnologia Vegetal ltda. Além deles, o português Bernardo Ernesto Simões Moniz da Maia, presidente da Yser, já é considerado foragido da Justiça.

Desta forma, o que restou aos internautas foi viralizar o video da votação do deputado Caio Nárcio sobre o pai exemplo de “honestidade”. O pai do deputado é acusado de receber R$ 1,5 milhão de propina e está com prisão preventiva decretada.

Deixe o seu comentário