13 de Janeiro de 2018 • 10:36 am

Cotidiano

Dermatologista dá dicas sobre cuidados com a pele no verão

Radiação ultravioleta mais intensa na atual estação pode provocar doenças de pele

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O verão chegou e com ele a tentação de passar muito tempo debaixo do Sol, sendo difícil resistir às praias, piscinas e atividades ao ar livre da estação mais quente do ano. Mas o perigo para a pele está justamente aí. Isso porque, como a exposição à radiação ultravioleta é a principal causa do câncer e do envelhecimento precoce, os cuidados diários devem ser redobrados, para que as pessoas possam curtir as temperaturas elevadas e os dias mais claros, sem deixar marcas no rosto e corpo, que possam comprometer a saúde da sua pele.

Segundo a dermatologista da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Cleide Vieira, o básico da proteção é o uso do protetor solar UVA e UVB e, no verão, o fator de proteção deve ser maior. Para a dermatologista da Sesau, até mesmo embaixo da barraca, na praia, deve-se usar o filtro solar, porque a pele pode ser afetada pelo reflexo do Sol na areia.

“O protetor solar deve ser um hábito diário, porque o Brasil é um dos países com maior nível de radiação do mundo. Os índices de raios ultravioletas são altos em todas as épocas do ano, e os danos que o Sol causa na pele são cumulativos”, explica.

Dra. Cleide Vieira

O cuidado deve ser redobrado com as crianças, principalmente aquelas que ficam muito tempo na água. De acordo com Cleide Vieira, os filtros solares para essas crianças devem ser os resistentes à água. Nesses casos, o protetor deve ser reaplicado a cada hora. “É bom ficar atento. Mesmo usando filtro, a criança não estará blindada aos efeitos nocivos do Sol. Outra medida de suma importância é evitar o Sol entre 10h e 16h. Não é recomendável deixá-los horas a fio na água. Uma pausa embaixo da barraca ou na sombra deve ser ensinada aos pequenos”, orienta.

A dermatologista da Sesau diz que os filtros com fatores de proteção solares mais altos ficam mais tempo na pele, o que é ideal para esta época do ano. “Os raios ultravioletas (UV) são radiações eletromagnéticas emitidas pelo Sol, capazes de afetar a nossa pele. Os raios UVA têm ondas mais longas e penetram profundamente na pele, chegando até a derme. Estão presentes o ano e o dia inteiro e seu efeito cumulativo pode desencadear fotoenvelhecimento, desordens pigmentares como melasma, alergias cutâneas, além do câncer de pele. Enquanto os raios UVB têm ondas mais curtas e penetram superficialmente, chegando até a epiderme, predominando das 10h às 16h”, concluiu.

Deixe o seu comentário