16 de Maio de 2016 • 6:28 pm

Cotidiano

Descarte de lixo na Santa Casa é referência para todo Estado

Hospital investe na capacitação dos funcionário para a correta segregação dos residuos.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Os últimos meses foram pródigos em manchetes denunciando o descarte irregular de lixo hospitalar em Alagoas. Neste cenário, o Plano de Gerenciamento de Resíduos do Serviço de Saúde (PGRSS) da Santa Casa de Maceió vem sendo destacado como referência por órgãos ambientais de fiscalização.

Coleta de referência na Santa Casa

Coleta de referência na Santa Casa

“O processo de segregação e destinação de resíduos da Santa Casa de Maceió é referência e um exemplo a ser seguido”, comentou José Soares Barbosa, coordenador de Fiscalização da

Controle rigoroso no descarte

Controle rigoroso no descarte

Sempma.
À frente das operações realizadas na capital alagoana, Soares revela o maior pecado dos hospitais em se tratando de descarte de resíduos: “a mistura de lixo contaminado com o comum e seu descarte irregular”.

A enfermeira Rejane Paixão, gerente de Unidades de Internação da Santa Casa de Maceió, diz que o PGRSS foi estruturado em 2012 para garantir um fluxo ecologicamente correto para seus resíduos.
“E não apenas isso. A nossa preocupação com a questão ambiental inclui até mesmo o uso de material de higienização com o selo “green” (verde), que são biodegradáveis e ajudam a preservar o meio ambiente”, comentou Rejane Paixão.

Produzindo 77 toneladas mensais de resíduos, dos quais 60 toneladas de lixo comum e 17 toneladas de lixo hospitalar (contaminante e infectante), a Santa Casa de Maceió vem investindo na capacitação de suas equipes e dos novos colaboradores para a correta segregação interna dos resíduos.

Neste sentido, a Santa Casa de Maceió conta com a assessoria do consultor ambiental Fernando Pinto, cujo trabalho vem norteando a política ambiental da instituição.

Apesar do alto custo, a Santa Casa de Maceió optou por contratar empresas especializadas em destinação de resíduos para garantir a observância das normas vigentes. Neste trabalho atuam a Serquip (coleta, transporte e incineração de lixo hospitalar infectante e contaminado), a Solupel (coleta de lixo comum) e a Qualitec (específica para o tratamento de resíduos perigosos).

Deixe o seu comentário