10 de setembro de 2015 • 6:16 pm

Maceió

Descaso: Dengue, hanseníase e tuberculose dominam Maceió

Vereadora acusa irresponsabilidade dos gestores públicos que não investem contra “as doenças de pobres”.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Quando há dinheiro não cumprem a obrigação investindo de acordo com as demandas prementes da população. Quando não tem vem a choradeira tradicional e as ameaças de suspensão de serviços básicos nos municípios e ainda querem o apoio da sociedade.

Esse comportamento dos prefeitos alagoanos foi criticado por lideranças comunitárias e até vereadores na Câmara Municipal de Maceió, nesta quinta-feira, 10.

A vereadora Heloísa Helena (Psol) condenou, por exemplo, a omissão dos gestores públicos no combate a doenças como a como a dengue, esquistossomose, hanseníase, tuberculose e a febre chincungunha, que são consideradas “doenças de pobres” ou de países subdesenvolvidos.

Em Maceió a incidência dessas doenças na periferia da cidade é considerada alarmante, justamente por que o poder público não cumpre o seu papel no combate as endemias e no controle desses males que atingem a saúde da população.

Para a vereadora, diante das constantes irresponsabilidades do setor público se torna maior o desafio para que a cidade elimine a ocorrência dessas doenças.

Segundo ela,  é inaceitável que  o setor público se omita na atuação da infraestrutura, saneamento, habitação e com isso promova o aumento nas estatísticas de doenças que são curáveis.

Aliás, a Secretaria Municipal de Saúde tem sido uma pasta mergulhada em escâdalos desde o inicio da atual gestão.

Deixe o seu comentário