28 de setembro de 2015 • 7:24 am

Economia

Desemprego no comércio já atinge este ano 43 mil postos de trabalho

Ao contrário do ano passado quando foram gerados 12.200 novos empregos. A alta do dólar impulsiona a crise.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
crise já ameaça postos de combustiveis.

crise já ameaça postos de combustiveis.

Com a alta do dólar o setor de varejo no País começou a enfrentar sua própria recessão e assim dispensar empregados. As demissões estão sendo mais sentidas no comércio e tendem a atingir o setor de postos de combustíveis e lubrificantes, segundo dados da CNC – Confederação Nacional de Comércio, Bens e Serviços.

De acordo com a entidade, nos últimos 12 meses foram fechados 43 mil postos de trabalho nesse setor. . No segmento de combustíveis e lubrificantes ainda há alguma geração. Foram criados mais 6.600 postos de trabalho, um pequeno aumento de 1,8%

A crise se agrava.

A crise se agrava.

O processo é preocupante quando se leva em consideração os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira, 25, pelo Ministério do Trabalho, indicando que as demissões superaram as contratações em 86.543 em agosto, pior resultado para este mês desde 1995.

As dificuldades do setor de combustíveis e lubrificantes devem afetar ainda mais o quadro de poucas oportunidades no mercado de trabalho.

No ano passado o varejo gerou 12.200 postos. A previsão é de que, ao final de 2015, sejam aproximadamente 2.500 postos. Esse ano tem sido o pior ano do varejo em geral em pelo menos uma década. As vendas, de modo geral, estão caindo 6,5% no acumulado do ano, queda muito mais forte do que a registrada no ano passado, que foi de 1,6%.

Deixe o seu comentário