17 de agosto de 2016 • 5:53 pm

Brasil » Política

Dilma decide ir ao Senado dia 29 fazer a defesa contra o impeachment

Julgamento terá início na quinta-feira, 25 de agosto, às 9h e, segundo o ministro Lewandowski, deve durar no mínimo quatro dias

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Após duas horas reunido com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e líderes dos partidos, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, definiu o rito do julgamento final da presidenta afastada, Dilma Rousseff, que será presidido por ele.

Dilma vai fazer a própria defesa.

Dilma vai fazer a própria defesa.

Pelo calendário, o julgamento terá início na quinta-feira, 25 de agosto, às 9h e, segundo estima o ministro, deve durar no mínimo quatro dias. Os dois primeiros dias serão dedicados à apresentação de questões de ordem e à oitiva das oito testemunhas arroladas. A acusação, que abriu mão de quatro nomes, vai apresentar apenas duas testemunhas, enquanto a defesa manteve as seis a que tem direito.

Fim de semana – Um dos pontos mais polêmicos na definição do rito do julgamento foi em relação à realização de sessões no fim de semana. Pressionado pelo grupo aliado ao presidente interino Michel Temer, que insistiu que os trabalhos continuassem no sábado e no domingo, Lewandowski que não queria sessões no fim de semana, fez uma concessão. Decidiu que, se for preciso, a fase de oitiva de todas testemunhas poderá se estender até a madrugada de sábado.

Deixe o seu comentário


Publicidade