18 de junho de 2015 • 8:59 am

CINEMA

Divertida Mente e Minha Querida Dama mereciam mais salas

Enquanto Dragon Ball Z e Jessabelle possuem mais exibições do que mereciam, Divertida Mente e (principalmente) Minha Querida Dama deveriam ter mais opções de horário.

Por: Thiago Sampaio
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Dragon Ball Z, é Divertida Mente, Jessabelle e Minha Querida Dama

Dragon Ball Z, Divertida Mente, Jessabelle e Minha Querida Dama.

Na véspera do Dia do Cinema Nacional (sexta-feira, 19 de junho), as estreia do final de semana não contam com nenhum filme brasileiro. O que temos são os convencionais terror, uma dramédia, um para um certo nicho e outro para todas as idades.

Temos duas animações e a primeira é Dragon Ball Z: O Renascimento de Frezza, que deve agradar apenas o público fã da saga de Akira Toriyama. Não há nem muito fator “novidade”, já que no ano passado as salas brasileiras tiveram a presença de outro filme da saga DBZ. Por isso, ele não conta muito, ainda mais se levar em conta que a outra animação é Divertida Mente, nova animação 3D da Pixar.

Sempre que os responsáveis por Toy Story, Procurando Nemo e Wall-E lançam um novo filme, é meio que obrigatório ir até o cinema para assistir. E mesmo com um catálogo impecável (apesar de Carros), sigo impressionado com a quantidade de acertos da produtora. Desta vez, o foco é na garotinha Riley. Bem, na verdade o foco é em suas emoções, literalmente. Enquanto no mundo real ela precisa lidar com uma mudança do interior do país para São Francisco, dentro do cérebro de Riley convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza, que vão ficar “a beira de um ataque de nervos” com essas mudanças.

Se for pra fazer uma ressalva, é com a escolha dos dubladores. A Disney preferiu escolher “famosos” como Miá Mello, Katiuscia Canoro, Dani Calabresa, Otaviano Costa, e Léo Jaime, ao invés de dubladores profissionais. Ainda assim, é um filme que não deve ser ignorado e promete ser o grande sucesso das crianças nesta temporada. Ao menos até a estreia de Minions.

Com apenas duas sessões diárias na sala Vip do Centerplex, está um filme muito bom para assistir. Em Minha Querida Dama, um solitário que sempre teve tudo de mão beijada (Kevin Kline), herda um apartamento que só poderá ser passado em seu nome quando uma senhora de 90 anos (Maggie Smith) morrer. É aquela clássica história de duas pessoas completamente diferentes tendo que conviver e passarem a gostar um do outro. Para melhorar a equação, ela tem uma bela fillha (Kristin Scott Thomas) e o filme se passa na frança. Resumindo: vá assistir esse filme!

Finalmente temos o terror Jessabelle: O Passado Nunca Morre. Neste, acompanhamos Jessie, que após um acidente fatal com o namorado, perde o movimento das pernas e vai morar com o pai novamente. As coisas pioram quando ela encontra fitas VHS macabras com a mãe dela, que já morreu, informando coisas horríveis sobre seu destino. O filme é dos mesmo produtores de Jogos Mortais e Atividade Paranormal e segue aquela linha de sustos obrigatórios e histórias repletas de reviravoltas. Ou seja, ótimo para quem gosta do gênero, mas ao mesmo tempo não está tão cansado dele.

Pra constar, não sei porque os filmes no Brasil ainda inventam de vir acompanhado de frases clichê. O que é esse “o passado nunca morre”? Não podia ser apenas “Jessabelle” sem esse texto genérico acompanhado?

Deixe o seu comentário