1 de julho de 2015 • 10:33 am

Esportes

Dívida pode impedir que basquete brasileiro ganhe vaga direta nas Olimpíadas

O  que antes parecia uma certeza, agora enche de dúvidas os dirigentes da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Por ser o País sede das Olimpíadas de 2016, o Brasil dava…

Por: Roberto Boroni
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
ffoxsports

Vagas nas Olimpíadas podem não vir de forma antecipada (Foto: Foxsports)

O  que antes parecia uma certeza, agora enche de dúvidas os dirigentes da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Por ser o País sede das Olimpíadas de 2016, o Brasil dava como certa a presença das seleções masculina e feminina da modalidade nos jogos, mas uma dívida da entidade com a Federação Internacional de Basquete (FIBA) pode vetar a vaga antecipada para os times brasileiros.

Através de um ofício enviado para a CBB, no início desta semana, a FIBA informou que o Brasil tem até o dia 31 de julho para pagar uma dívida, referente ao convite para a equipe masculina participasse do Mundial em 2014. O montante devido gira em torno de US$ 1 milhão (cerca de R$ 3,2 milhões) e o caso a CBB não pague nesse prazo o Brasil terá que conquistar as duas vagas do basquete dentro de quadra, nos torneios pré-olímpicos  da categoria.

Por mais que seja duro ver o Brasil ficar sem vaga direta em um dos esportes mais populares no País, a verdade é que a FIBA possui uma norma que não permite federações nacionais com débitos participem de competições de nível mundial. Os torneios pré-olímpicos são considerados campeonatos continentais, por isso que a participação do Brasil não está ameaçada.

Segundo o diretor executivo da CBB, Édio Soares, o Brasil fez uma proposta para pagar a dívida de forma parcelada e a resposta da FIBA deve sair durante a realzação dos jogos Pan Americanos, neste mês de julho em Toronto. “Estamos confiantes que nossa proposta deverá ser aceita. Mas, também trabalhamos com a possibilidade de ter que ganhar as vagas dentro de quadra”, disse ele.

Deixe o seu comentário