4 de abril de 2017 • 11:36 am

Brasil » Política

Dois milhões de autistas vão ficar sem o BPC com reforma da previdência

Deputado Léo Loureiro apresenta dados e protesta contra reforma de Temer

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Um dos fatores de crueldade da reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer diz respeito exatamente ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é assegurado a familiares de pessoas com deficiência, impedidas, portanto, de trabalhar para cuidar do parente.

O valor do benefício é de um Salário Mínimo. A questão chamou a atenção do deputado estadual Leo Loureiro (PPL), que condenou a atitude do governo federal, durante manifestação na passagem do Dia Mundial do Autismo, comemorado no último 2 de abril.

Leo Loureiro: reforma cruel

O parlamentar alertou para as consequências nocivas da reforma de Temer, que atinge sobretudo as famílias que mais precisam, como no caso de mães e pais de filhos autistas.

Em recente evento na Câmara Municipal de Maceió, mães e pais de pessoas com autismo usaram a tribuna da Câmara para falar sobre a experiência de ter um filho autista e ao mesmo tempo mostrar como é possível superar os obstáculos. Mas, todos lamentaram a atitude do governo com a reforma da previdência.

Autismo – O dia 2 de abril foi instituído pela ONU em 2008 como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. O autismo é uma síndrome que afeta vários aspectos da comunicação, além de influenciar também no comportamento do indivíduo. Segundo dados do CDC (Center of Deseases Control and Prevention), órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, existe hoje um caso de autismo a cada 110 pessoas.

Dessa forma, estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 2 milhões de autistas. São mais de 300 mil ocorrências só no Estado de São Paulo. Contudo, apesar de numerosos, os milhões de brasileiros autistas ainda sofrem para encontrar tratamento adequado.

E agora, segundo o deputado Léo Loureiro, os familiares ainda viverão mais dificuldades impostas pelo governo brasileiro, com a reforma da previdência proposta por Michel Temer, que não atinge apenas o autista mas também todos os deficientes físicos do País.

 

 

Deixe o seu comentário