16 de fevereiro de 2017 • 9:20 pm

Cultura

Dossiê pode tornar serra da Barriga em patrimônio cultural do Mercosul

Serra é tombada desde 1985

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Um dossiê que está sendo produzido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Fundação Cultural Palmares, e Ibama poderá resultar na qualificação da Serra da Barriga como Patrimônio Cultural do Mercosul.

Dossiê em nome da serra.

O dossiê será entregue no próximo mês para a avaliação da Comissão de Patrimônio Cultural do bloco econômico, segundo dados revelados pelo Iphan.

De acordo com o Iphan, a candidatura se insere na proposta La Geografía del Cimarronaje: Cumbes, Quilombos y Palenques del Mercosur, juntamente com Colômbia, Equador e Venezuela, que também apresentaram sítios de interesse para a valoração da contribuição africana no continente sul-americano.

 

Para Candice Ballester, arquiteta e urbanista do Departamento de Articulação e Fomento da Assessoria Internacional do Iphan, que está em Alagoas comandando as reuniões para a produção do dossiê e diretrizes do plano de gestão do bem, a postulação da Serra como Patrimônio Cultural do Mercosul “é um reconhecimento, uma ação estratégica de valorização da identidade negra na América Latina”.

Entre os benefícios estão a valorização, promoção e fomento do local, além da garantia do uso de recurso do fundo do Mercosul para ações do bem. “A Serra da Barriga é um símbolo da luta pela liberdade e resistência negra. A postulação a Patrimônio Cultural do Mercosul representa um marco para Alagoas e eleva a autoestima da nossa população, despertando o sentimento de pertencimento cultural”, destaca a secretária de Estado da Cultura de Alagoas, Mellina Freitas.

Tombada  – A Serra da Barriga, bem tombado pelo Iphan em 1985 e monumento nacional desde 1988, local sagrado e de representatividade para o povo negro, foi onde milhares de homens rebelados criaram o maior foco de resistência escrava do Brasil, o Quilombo dos Palmares.

Deixe o seu comentário