26 de junho de 2017 • 8:09 am

Blogs » Marcelo Firmino

E de repente esconderam o pau que bateu em Chico, para não ferir Francisco

Retrato do Brasil: quando os interesses escusos valem mais que valores e princípios humanos

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Nem sempre o pau que bate em Chico bate em Francisco.

Que o diga o senador afastado Aécio Neves que foi um dos ativistas no Senado pela cassação do mandato do ex-senador Delcídio Amaral, ex-tucano e ex-petista, com os mesmos problemas de justiça do senador mineiro.

Os de Aécio, segundo a justiça, após delação da JBS, ainda mais graves. Porém, o Conselho de Ética do Senado desconsiderou os casos e manteve o mandato do senador, que foi candidato à Presidência da República na última eleição.

Tem mais…

Quando vice-presidente, Michel Temer, em campanha para derrubar Dilma Rousseff do poder e assumir a presidência, fez discurso em São Paulo contra a então presidente dizendo que ninguém se sustentaria no poder com 7% ou 8% de aprovação. Hoje na presidência, Temer tem insignificantes 2% de aprovação.

E imagine

O ministro do STF, Gilmar Mendes, vai à jantares aos domingos, reúne-se às caladas da noite com Michel Temer nos palácios e articula de todas as maneiras para mantê-lo no cargo, a apesar de todas as denúncias  e evidências – com mala e sem mala de dinheiro – que maculam, depõem e jogam na lama a imagem do chefe da Nação.

E eis que o mesmo Gilmar, por muito menos, atuou abertamente dentro do Judiciário e fora dele, para derrubar a presidente anterior. Conseguiu o feito.

A corrupção

Pra refrescar a memória, não faz muito tempo que uma série de movimentos financiados por PSDB, DEM e outros partidos estavam nas ruas com trios elétricos, bradando a todos que era preciso derrubar o governo por que o problema era a corrupção. E lá se foram todos com disseminação do conteúdo pós-verdade nas redes sociais e até com brigas nas ruas. Era a oposição que não venceu nas urnas, mas venceu nas ruas e a presidente caiu. A oposição então passou a ser governo.

O resultado é que a corrupção está ainda mais explícita e pegou dois ícones fortes, quase gurus (de muita gente!), como Aécio Neves e Michel Temer, sem falar nos de menores estaturas.

Mas, aí esconderam o pau que bateu em Chico, para não ferir Francisco.

É o retrato do Brasil, hoje, quando os interesses escusos valem mais do que valores e princípios humanos.

 

 

 

 

Deixe o seu comentário