25 de Maio de 2015 • 7:27 pm

Política

Eduardo Cunha atropela comissão da Reforma Política e causa revolta

O relator deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) considerou a atitude do presidente da Câmara como um total desrespeito.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atropelou o a Comissão Especial da Câmara que tratava da Reforma Política e  decidiu desconsiderar o relatório que o relator, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) estava preparando para a votação em plenário. Segundo as informações, Cunha, na condição de Presidente da Câmara, estava exigindo que a comissão colocasse no relatório o chamado voto “Distritão” e o financiamento privado das campanhas políticas.

Castro fez um texto mixto colocando financiamnto público e privado. O presidente da Câmara de forma autoritária esvaziou o trabalho da comissão e definiu que  a reforma política (PECs 182/07 ) será votada diretamente pelo Plenário da Câmara, sem qualquer relatório de referência para orientar a dicussão e a votação dos parlamentares. A votação será iniciada a partir desta terça-feira, 26.

 

A decisão de Eduardo Cunha gerou mais uma insatisfação dos parlamentares com o presidente, em função do estilo de liderar cultivado pelo deputado peemedebista. Ele inclusive mandou cancelar nesta segunda-feira,25, a reunião da Comissão Especial que ia apreciar o relatório final da reforma política. E aí o clima esquentou.

“Isso é um desrespeito”, classificou o relator da Comissão Especial, Marcelo Castro. O relator já tinha estabelecido em seu relatório que todos os mandatos eletivos, a partir da reforma passariam a ter cinco anos.

 

Deixe o seu comentário