5 de setembro de 2016 • 2:55 am

Brasil » Política

Eduardo Cunha convoca tropa de choque para salvar mandato

Processo de cassação de Cunha será dia 12 de setembro

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) convocou sua “tropa de choque”, composta por deputados aliados na Câmara, para articular uma estratégia com o objetivo de evitar a cassação de seu mandato no próximo dia 12, quando o processo que teve origem no Conselho de Ética será votado no Plenário da Casa.

Cunha: rumo a pizza

Cunha: rumo a pizza?

Para isso, o ex-presidente da Câmara pediu a seus aliados um levantamento em cada um dos partidos com representação na Casa para saber quais parlamentares votarão pela cassação. A partir daí, os líderes e aliados tentarão convencer os deputados favoráveis à perda do mandato de Cunha a faltarem à sessão.

De acordo com informações do Estado de S.Paulo deste domingo (4), o movimento de esvaziamento tem como alvo o PMDB e legendas do Centrão – grupo de 13 partidos liderados por PP, PSD, PTB e Solidariedade. Para que Cunha seja cassado, são necessários 257 votos favoráveis à condenação. A Câmara tem 513 deputados e os parlamentares que se ausentarem estarão ajudando o deputado do PMDB a não ser derrotado pelo Plenário.

Eduardo Cunha é acusado de mentir na CPI da Petrobras, na Câmara, ao negar a existência de contas secretas no exterior. O processo contra ele teve origem no Conselho de Ética da Casa a partir de uma representação liderada pela bancada de deputados do Psol. O ex-presidente da Câmara é, ainda, réu no Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito da operação Lava Jato, por corrupção, lavagem de dinheiro e ocultação de contas na Suíça.

Deixe o seu comentário