29 de março de 2016 • 4:50 pm

Brasil

Eduardo Cunha quer destituir o atual conselho de ética para evitar cassação

Cunha vai propor o fim do atual Conselho e formar a outro com mais representantes do PMDB.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Mal o PMDB anunciou o rompimento com o governo, o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) tratou de criar um projeto para salvar a própria pele dele no Conselho de Ética da casa, onde é acussado de corrupção.

Segundo o líder da Rede Sustentabilidade na Câmara, deputado Alessandro Molon (RJ), denunciou nesta terça-feira (29) que o presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tentará aprovar um projeto de resolução da Mesa Diretora que permite mudar a atual composição do Conselho de Ética.

Atualmente, o Conselho de Ética é composto por 21 deputados. No projeto de resolução apresentado para redefinição de todas as comissões da Câmara, Cunha argumenta que, devido à recente troca de partidos por alguns deputados, as bancadas mudaram de tamanho.

Desta forma, o PMDB ganharia mais uma vaga no Conselho e o PT perderia uma cadeira. A votação atual do parecer contra Cunha está por uma diferença de apenas um voto.

Desde que o líder do Psol na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), apresentou representação (há mais de quatro meses) no Conselho de Ética em que pede a cassação do mandato de Eduardo Cunha, por quebra de decoro parlamentar, o presidente da Câmara vem manobrando de diversas maneiras o Regimento Interno da Casa para atrasar a votação do parecer.

Cunha já conseguiu, inclusive, trocar o primeiro relator do processo, o deputado Fausto Pinato (PRB-SP), recorrer ao Supremo Tribunal Federal, tentar dissolver reuniões e convocar sessões, na condição de presidente da Câmara, para atrasar as reuniões do Conselho de Ética.

Deixe o seu comentário