19 de setembro de 2017 • 8:58 am

Economia

Educação e saúde pela hora da morte: preços até 3 vezes mais que o IPCA

Os dados foram revelados em uma pesquisa realizada pelo Estadão

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Os serviços de educação e saúde no País são dois componentes básicos do controle inflacionário que continuam sendo reajustados acima do índice geral de preços. Pelo menos é o que revela uma pesquisa do jornal Estadão.

De acordo com os dados, em agosto, a inflação oficial acumulada em 12 meses, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 2,5%.

Já  os gastos com serviços de educação subiram o triplo (7,5%). No mesmo período, os de saúde subiram o dobro (5,2%).

Educação e saúde pela hora da morte

Os cálculos da LCA Consultores não consideram os planos de saúde, cujos preços são monitorados pelo governo. Neste ano, a Agência Nacional de Saúde (ANS) autorizou um aumento máximo de 13,55% para os planos, praticamente o mesmo reajuste do ano passado.

Os dados da pesquisa revelam que quando se trata de educação e saúde os preços tem subido, sistematicamente, acima da inflação geral ao longo dos anos.

Na última década, enquanto o IPCA acumulado subiu 80,5%, os preços dos serviços de saúde cresceram 113,8% e os de educação, 110,7%.

O economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, diz que as relações de confiança construídas ao longo do tempo entre clientes e prestadores de serviços de saúde, como médicos e dentistas acaba dificultando a troca por opções mais baratas. “A relação de confiança acaba fazendo com que possíveis abusos possam acontecer.”

Deixe o seu comentário