4 de fevereiro de 2016 • 7:29 pm

Maceió

Efeito suspensivo garante segunda volta do Murici ao Campeonato Alagoano

Documento ainda sustenta que a eliminação do Murici modificará a formatação do Campeonato Alagoano

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Pela segunda vez o Murici ressurge no campeonato alagoano. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) garantiu, no final da tarde desta quinta-feira (4), a volta do clube da Zona da Mata com um efeito suspensivo. O recurso voluntário em mandado de garantia expedido pelo relator Ronaldo Piacenti anula a decisão proferida pelo Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva de Alagoas (TJD-AL).

O documento sustenta que a eliminação do Murici modificará a formatação do Campeonato Alagoano, mas o TJD-AL não definiu o formato e os efeitos da eliminação. O recurso cita uma falta de comunicação entre a FAF e o clube, onde o regulamento da competição foi modificado de forma unilateral, sem atos ou reuniões.

O efeito suspensivo também informa a irregularidade em respeito das certidões negativas necessárias para um clube participar do estadual. De acordo com o documento, o caso não serve de fundamento para rebaixar o Murici à Segunda Divisão do Alagoano, pois regularidades fiscais não são parâmetros para tal atitude. Isso recorre aos critérios técnicos.

Com isso, a FAF precisa reajustar o horário e data da partida entre Murici e CRB, anteriormente marcada para quarta-feira. O confronto foi suspenso após o Pleno do TJD-AL punir o Alviverde na terça à noite, por maioria de votos, com a exclusão do Campeonato Alagoano e o consequente rebaixamento para a Segunda Divisão de 2017.

A Federação chegou a cogitar que, caso o Murici voltasse ao campeonato, a partida seria realizada nesta sexta-feira (5). Informado sobre a posição da entidade, o CRB encaminhou um comunicado afirmando que não quer jogar amanhã, pois prejudicaria  o seu cronograma.

Entenda o que aconteceu

Em janeiro, o Murici foi eliminado do Campeonato Alagoano por não ter os 18 atletas (número mínimo exigido) com nomes publicados no Boletim Informativo Diário da CBF. Na verdade, a direção do clube só conseguiu inscrever o nome de três atletas. O que seria justificado posteriormente pelo presidente do clube, Geraldo Amorim. Ele disse que o clube adotou todas as providências exigidas pela Federação Alagoana de Futebol, mas que o atraso na inscrição foi por responsabilidade da CBF.

Mesmo excluído do campeonato estadual, o Murici conseguiu uma liminar, concedida pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Alagoas, Rogério Melo Teixeira, para disputar as três primeiras rodadas da competição. Na terça, em votação do Pleno do TJD-AL, o clube voltou a ser excluído por maioria de votos. Inclusive, a partida entre o Alviverde e o CRB, pela quarta rodada do Alagoano precisou ser adiada por determinação da FAF.

Deixe o seu comentário