12 de agosto de 2016 • 10:28 am

Cotidiano

Em Alagoas quase 1.500 pessoas já foram multadas por não usar farol durante o dia

Lei ajudou a reduzir os números de acidentes e mortes nas rodovias do país, porém, em Alagoas, os números permanecem iguais

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Uso de farol baixo nas rodovias é obrigatório

Uso de farol baixo nas rodovias é obrigatório

Em um mês de vigência da lei que determina o uso de farol baixo durante o dia nas rodovias brasileiras, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 124.180 flagrantes de desrespeito à legislação em todo o país. Em Alagoas, 1.442 motoristas foram multados até agora. Um número baixo quando comparado a outros estados como Goiás (14.683), Minas Gerais (12.660), Paraná (12.976), Rio de Janeiro (11.100) e Santa Catarina (10.720), que tiveram mais flagrantes de motoristas dirigindo durante o dia com os faróis apagados.

O balanço da PRF refere-se ao período de 8 de julho a 8 de agosto, quando o dispositivo legal completou um mês de vigência. O descumprimento da lei federal é considerado infração média, com quatro pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13, que passará para R$ 130,16 em novembro deste ano. 

A efetividade da lei pode ser observada na maior parte do país, com redução do números de acidentes e mortes. Mas em Alagoas, os dados permaneceram praticamente imutáveis quando comparados ao mesmo período do ano anterior.

Durante o período, a PRF registrou 117 acidentes do tipo colisão frontal durante o dia e em pistas simples, número 36% menor comparado aos 183 registrados no mesmo período de 2015. Nesses acidentes, 39 pessoas morreram e 67 ficaram gravemente feridas, números respectivamente 56% e 41% menores quando comparados ao mesmo período do ano passado em que houve 88 óbitos e 113 feridos graves.

Os números também apontam redução de 34% nos atropelamentos. Foram 86 contra 131 no mesmo período do ano passado, considerando apenas os acidentes ocorridos durante o dia em rodovias federais. Nesses atropelamentos, houve queda no número de mortos – 10 óbitos em 2016 e 16 em 2015 – e de feridos graves – 43 feridos graves em 2016 e 63 em 2015.

Apesar de os números positivos já aparecerem no somatório do quantitativo das rodovias federais do país, para a PRF, em Alagoas ainda não é possível concluir a efetividade da lei. Os motivos são o curto intervalo de tempo para avaliação, somada à relativamente pequena malha federal, de cerca de 800 quilômetros, cujos registros de acidentes não são expressivos para comparativos.

Assim como em 2015, entre 8 de julho e 8 de agosto de 2016, não houve registro de atropelamentos nas rodovias federais alagoanas, assim como também o número de colisões frontais registradas em pleno dia e em pista simples permaneceu a mesma, com duas em cada um dos períodos comparados.

Deixe o seu comentário