27 de março de 2017 • 2:41 pm

Brasil

Empresa dos Correios vai colocar ‘no olho da rua’ 25 mil trabalhadores

Programa de demissão em massa foi determinado pelo governo de Temer

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A ordem já foi dada no Palácio do Planalto pelo presidente Michel Temer (PMDB) e agora os Correios preparam o caminho para a demissão em massa dos servidores da empresa. A diretoria está tratando o caso como uma “megademissão”.

Correios: demissão em massa.

A ideia surgiu após o balanço do governo ter identificado que a empresa gerou um prejuúizo  de quase R$ 500 milhões nos dois primeiros meses do ano e depois de frustrar-se com o baixo número de adesões ao plano de desligamentos voluntários aberto em janeiro.

Temer, então, pediu a direção da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT)  uma medida radical.A solução encontrada foi fechar agências e demitir o pessoal, independentemente do tempo de serviço.

O argumento do governo é de que o momento de crise é muito grave e por isso a empresa se movimenta para demitir em torno de 20 a 25 mil trabalhadores em todo o País, o que já gerou uma crise entre os sindicatos em cada praça, uma vez que alguns deles atuaram nas manifestações de rua, na defesa do impeachment da Presidente Dilma Rousseff (PT).

Outra alegação dos Correios para efetuar as demissões é de que a folha de pagamento do pessoal, com mais de 117 mil empregados,  subiu de R$ 3 bilhões para mais de R$ 7,5 bilhões entre 2007 e 2015.

Em janeiro, a empresa lançou o Programa de Demissão Voluntária (PDV) esperando a adesãode mais de 10 mil funcionários, mas apenas 5 mil trabalhadores aderiram no País inteiro.

Contrária as demissões anunciadas, a Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect) promete lutar com todas as armas para manter o emprego do pessoal, mesmo sabendo da determinação do Panalto em colocar 25 mil trabalhadores na olho da rua.

Deixe o seu comentário