1 de junho de 2015 • 7:59 pm

Cotidiano

Empresa paulista faz proposta no TCE para coletar e tratar o lixo de Maceió

A Prefeitura pagava R$ 500 milhões por um contrato de 4 anos. A nova empresa propõe R$ 414 milhões por 5 anos de serviços. A proposta também foi encaminhada à Slum.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Com a decisão do Tribunal de Contas do Estado de cancelar o contrato das empresas que fazem a coleta do lixo em Maceió, o mercado nacional passou se interessar pelo novo contrato a ser feito. Diante disso, a empresa paulista de coleta e tratamento de resíduos sólidos, Pioneira, protocolou uma proposta de serviços na Superintendência Municipal de Limpeza (SLUM) e no próprio TCE para um período de 60 meses.

A empresa apresentou em sua planilha de custos o valor de R$ 414,8 milhões para um contrato de 5 anos. Os números representam uma redução considerável nos custos da da coleta e tratamento do lixo no município.  Desta maneira, a proposta da empresa paulista vai agitar os bastidores da Prefeitura de Maceió e ainda despertar a curiosidade dos técnicos na corte estadual de contas.

A Prefeitura de Maceió estava gastando em contrato de quatro anos R$ 500 milhões.  O lixo da cidade é coletado e tratado pelas empresas Limpel e Viva Ambiental. De acordo com a resolução aprovada pelo TC, a Câmara de Vereadores tem 90 dias para sustar os instrumentos contratuais que estejam em execução e a prefeitura deve realizar uma contratação emergencial para evitar a paralisação da coleta e transporte de lixo.

É exatamente com essa contratação emergencial que a empresa Pioneira conta. Outras empresas do mercado paulista também estão se movimentando para apresentar novas propostas. O processo da contratação envolve além da coleta a administração do aterro sanitário do município, construído na gestão passada

 

Deixe o seu comentário