23 de Fevereiro de 2016 • 7:36 pm

Saúde

Envelhecimento ativo na Santa Casa começa com mais de 130 inscritos

Projeto é desenvolvido com homens e mulheres que buscam viver mais e melhor.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Por Theodomiro Júnior

 

Uma senhora de seus 80 anos entra num palco com roupa de dançarina ao lado de seu partner, uns 40 anos mais novo. É um programa onde anônimos e artistas apresentam variadas atrações em busca do prêmio principal. A expressão dos jurados não é dos mais animadores. Uma velhinha e um jovem é uma dupla que tem tudo para fazer uma apresentação sem muito interesse. Ao final do número, a dupla é ovacionada até pelos mais críticos, diante da agilidade e das acrobacias da octogenária e seu “partner”.

Envelher com saúde

Envelher com saúde

O vídeo foi compartilhado pela geriatra Helen Arruda na aula inaugural do Grupo de Envelhecimento Ativo, ocorrida nesta segunda (23/02), no Centro de Estudos Professor Lourival de Melo Mota. Helen Arruda utilizou o vídeo para mostrar que todos nós, jovens e adultos, podemos viver mais e melhor e alcançar conquistas que parecem impossíveis.

“Mas, para termos um envelhecimento ativo – e conquistarmos uma velhice com saúde e qualidade de vida – precisamos sair do comodismo e adotar hábitos saudáveis”, disse Helen Arruda ao abrir o evento.

Helen Arruda discorreu ainda sobre o conceito de envelhecimento ativo e sua importância para os homens e mulheres que atravessam a barreira simbólica dos 60 anos

Nada menos que 130 homens e mulheres se inscreveram na 8ª edição do Grupo de Envelhecimento Ativo da Santa Casa de Maceió (Geasc), um recorde se comparado a anos anteriores. Conforme antencipou o professor Geraldo Liberal, coordenador do projeto, o grupo terá este ano 39 encontros abrangendo desde saúde e qualidade de vida até direito do cidadão, do consumidor e do idoso. O evento foi prestigiado pelo médico Duílio Marsíglia, decano da instituição e presidente do Centro de Estudos Professor Lourival de Melo Mota.
Como é o projeto – Em 2009, a Santa Casa de Maceió lançou um projeto que visava congregar e, sobretudo, preparar homens e mulheres acima dos 60 anos para viver com qualidade de vida a chamada terceira idade.

A partir de então, o Curso de Envelhecimento Ativo passou a ser pólo de promoção de saúde e ponto de encontro e de convivência de pessoas que desejam compartilhar experiências, dons e vivências. “São homens e mulheres que buscam viver mais e melhor”, disse Helen Arruda.

Organizado como curso de formação, o projeto promove aulas uma vez por semana, das 14h às 16h, sempre as segundas, no auditório do Centro de Estudos da Santa Casa de Maceió.

O Geasc mobiliza diversos profissionais da instituição durante todo ano. Participam da iniciativa médicos de várias especialidades, além de psicólogas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e assistentes sociais, que se revezam em palestras informativas abrangendo orientações sobre saúde e alimentação, sexualidade, tecnologia, direitos sociais entre outros.

 

Deixe o seu comentário