18 de agosto de 2016 • 5:24 pm

Esportes

Esporte a Vela: Martine Grael e Kahena Kunze garantem quarto ouro para o Brasil

Numa categoria que estreou nas Olimpíadas, brasileiras terminaram a prova com o tempo de 21m21s; dupla da Nova Zelândia garantem prata e dinamarquesas ficam com o bronze

Por: Vinicius Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Apesar da eliminação de Robert Scheidt, maior medalhista do País do esporte a vela, o Brasil continua marcando presença no pódio desse tipo competição. Agora devemos nos orgulhar das meninas Martine Grael e Kahena Kunze, que garantiram, na tarde desta quinta-feira (18), a medalha de ouro na disputa da 49erFX. A dupla da Nova Zelândia, Alex Maloney e Molly Meech, ficaram com a prata e as dinamarquesas Jena Hansen e Katja Steen Salskov-Iversen garantiram o bronze.

Meninas comemoram a conquista da quarta medalha dourada

Meninas comemoram a conquista da quarta medalha dourada

Numa acirrada disputa, durante a competição, com as espanholas Tamara Echegoyen e Berta Betanzos, e as dinamarquesas Jena Hansen e Katja Steen Salskov-Iversen, as garotas do brasileiras chegaram empatadas a  última prova. Mas foi a dupla da Nova Zelândia que o Brasil teve que se preocupar. As brasileiras terminaram a prova com o tempo de 21m21s.

A 49erFX fez sua estreia olímpica nos Jogos do Rio. Seu primeiro mundial foi em 2013 e desde então todo ano teve uma campeã diferente. Martine e Kahena venceram em 2014 – o primeiro ouro em um mundial da vela feminina do Brasil – e ganharam o primeiro evento-teste da Olimpíada. No ano seguinte alternaram vitórias e segundos lugares, mas viram as adversárias crescerem. Faturaram o segundo evento-teste e perderam o mundial de 2015 na regata da medalha para as italianas Giulia Conti e Francesca Clapcich. Este ano ficaram em sexto no mundial vencido pelas espanholas Tamara Echegoyen e Berta Betanzos.

Desde 1996 o Brasil é conhecido como favorito nesse tipo de competição e sempre garante medalhas. Com duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze, Scheidt, uma lenda dos mares, respeitado por todos os adversários, era a nossa maior esperança de medalhas, mas falhou no início da competição e tentou uma recuperação tardiamente no final do torneio.

 

 

Deixe o seu comentário