26 de dezembro de 2016 • 7:25 am

Economia

Estado alivia empresas parcelando ICMS das vendas de dezembro

O mês de dezembro representa 20% das vendas do comércio varejista.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Graças a um decreto do governo do Estado, as empresas alagoanas do setor varejista vão ter a oportunidade de pagar o ICMS das vendas realizadas em dezembro em três suavez parcelas. A iniciativa, seguno  Fazenda estadual, foi para atenuar os efeitos da crise vivida em função da baixa da economia do País.

ICMS de dezembro é parcelado

Mas, só terão acesso ao parcelamento sem juros as empresas que obedecerem as instituidas pelo governo. Ou seja, o benefício só será assegurado aos varejistas regularmente inscritos no Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado de Alagoas (Caceal) e que aderirem à campanha de vendas “Natal Premiado 2016”.

Disse o secretário especial da Receita Estadual, Fabrício Santos, sem o alívio concedido pelo governo, os comerciantes locais seguiriam o procedimento normal para recolhimento do imposto integral durante o mês de janeiro e, com o decreto, o prazo para pagamento será alongado durante três meses, dando tempo para que as empresas realizem o devido planejamento financeiro para 2017.

“O mês de dezembro engloba mais de 20% das vendas anuais do comércio, muitas delas realizadas a prazo e não são recebidas ainda em janeiro, então, para compatibilizar esse fluxo, deferimos o pagamento de um terço do imposto em janeiro e o restante será pago nos meses de fevereiro e março, dando alívio financeiro para as empresas do comércio neste início do ano, momento importante na tomada de decisões sobre estoque, manutenções de emprego ou demissões”, ressaltou o secretário.

Com o decreto, a primeira parcela no percentual de 34% do valor total do ICMS deverá ser recolhida até o dia 10 de janeiro; a segunda, de 33% do total, até 10 de fevereiro e a terceira, último percentual de 33%, até 10 de março de 2017.

 

 

Deixe o seu comentário