24 de agosto de 2015 • 11:50 am

Economia

Estado quer aumentar produção de grãos onde hoje se planta eucalipto

Onde era área de cana agora é eucalipto. Estado quer milho, soja, entre outros grãos.

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Álvaro Vasconcelos: pela produção de grãos.

Álvaro Vasconcelos: pela produção de grãos.

Com o setor da agroindústria da cana em crise o Estado realiza estudos sobre como aproveitar as terras que antes produziam a cana de açúcar. Empresários do agronegócios sonham em infestar todas as áreas com o plantio de eucalipto, enquanto representantes de cooperativas agrícolas e agricultores familiares defendem o plantio de grãos.

Mesmo sem saber ao certo o que vai acontecer, a Secretaria de Agricultura investe na compra de sementes para a distribuição com os agricultores familiares. A ideia é estimular o plantio de milho e soja nos tabuleiros e de arroz na região do baixo São Francisco. A produção garante mão de obra no campo, ao contrário do eucalipto que só interessa ao agronegócios.

Eucalitpto avança com agronegócios.

Eucalitpto avança com agronegócios.

Hoje o Estado, segundo o Secretário de Agricultura, Álvaro Vasconcelos, possui quatro áreas experimentais de 200 hectares com o cultivo da soja para sementes. A expectativa é transformar o Estado em um dos principais produtores de sementes de soja do País, considerando a técnica de plantio desenvolvida pelos pesquisadores da pasta.

Para o milho, com o volume de sementes distribuídas no inicio do ano a expectativa é de uma safra de 35 mil toneladas, o que ainda é pouco para o mercado consumidor. No progressivo trabalho de distribuição de sementes, Álvaro Vasconcelos e os técnicos esperam produzir 150 mil toneladas de milho já em 2018.

A produção de grãos é alternativa.

A produção de grãos é alternativa.

Pelo arroz – No caso do plantio de arroz, uma cultura que também estava em queda na região do baixo São Francisco, há o compromisso do governo doar 200 mil toneladas de sementes, adquiridas pelo Estado, e mais 200 toneladas que serão doadas pela Conab para os agricultores familiares. A previsão é assegurar a produção de 27 mil toneladas de arroz nesse primeiro momento.

O Estado trabalha com a perspectiva de beneficiar 73 mil agricultores com a distribuição de sementes, a partir do projeto para a nova ação de incentivo à agricultura planejada pela equipe da secretaria.

 

Deixe o seu comentário