9 de Fevereiro de 2018 • 12:37 pm

Blogs » Marcelo Firmino

Estado reduz mais de 50% da dívida e tem avaliação de destaque no País

Agência internacional Standard & Poor’s diz que Alagoas mantém superávit operacional após investimentos

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB) comemorou nesta sexta-feira, 9, o superávit de seu governo, que pela primeira vez na história tem uma avaliação externa de risco positiva, que lhe foi conferida por uma das maiores agências de rating internacional, a Standard & Poor’s.

A avaliação premiou o Estado com a nota “BB-“, que vem ser a mesma nota a atribuída ao País, com o destaque de que o Estado é um dos poucos no Brasil que manteve superávit, tanto operacional quanto depois de realizado investimentos, apesar das condições socioeconômicas adversas e das restrições orçamentárias.

Renan Filho: essa é uma conquista que só acontecia com Estados mais organizados.

George Santoro: a solidez fiscal comprovada.

Historicamente a avaliação de risco do Estado sempre esteve com a nota “D” e “D menos”. O salto de qualidade foi comemorado, por que a nota atual foi conquistada em 3 anos de governo e isso, segundo o governador, tem reflexos diretos na capacidade futura de investimentos, que este ano deve ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão.

O que mudou – De acordo com os dados revelados pelo Secretário da Fazenda, George Santoro, o aspecto da solidez fiscal do Estado foi uma das referências para essa conquista atual.Graças a isso, Alagoas conseguiu estabelecer a redução da carga da dívida em mais de 50% e garantiu altos níveis de caixa, refletindo uma prática de gestão financeira eficaz, mas prudente. O detalhe, destacou, é que com as medidas implementadas para fortalecer a arrecadação e a modernização da gestão pública, o Estado inverteu a ordem do processo de arrecadação, quando antes de 2015 as receitas eram 60% de transferências do governo federal e 40% recursos próprios. “Hoje somos 60% recursos próprios e 40% transferências constitucionais”, disse Santoro.

Soma-se a isso, disse Renan Filho, o aspecto da transparência e os ativos líquidos que são suficientes para cobrir 1.5 vezes o serviço da dívida nos próximos 12 meses, que está estimado em torno de R$ 530 milhões. “Essa é uma grande noticia para a economia alagoana, uma vez que estamos em um dos Estados mais pobres da federação, mas que se destaca pelo trabalho realizado no aspecto de sua solidez fiscal e dos investimentos implementados sem dinheiro de empréstimos, o que ratifica nossa solidez econômica avaliada pela Standard & Poor’s”, destacou Renan.

Pela a avaliação da agência internacional, Alagoas foi o único Estado do Brasil com superávit  4.9, que lhe assegura a capacidade de investimento e solidez fiscal. Em 2014, Alagoas estava entre os cinco piores Estados do País, operando suas contas no vermelho e tomando empréstimos para sobreviver o que agravou ainda mais a situação.

Para avaliar o Estado, a Standard, além de investigar os dados fiscais, operou sua pesquisa em Alagoas ouvindo técnicos, especialistas e os segmentos produtivos para mensurar os dados coletados de forma independente.

Diferença – Diante dos dados, o governador Renan Filho disse ainda que Alagoas estabelece com esses dados mais uma diferença em relação aos demais estados do País, considerando que a maioria não está conseguindo enfrentar a crise de cabeça erguida, “com investimentos e melhoria de políticas públicas”. Para ele, se o Estado estivesse vivendo uma crise fiscal aguda, o caos teria se estabelecido a nível do Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, que estão em situações lamentáveis.

 

 

 

 

2 Comentários

  1. Lima disse:

    Mas com combustível e ipva mais caro que nos bizinhos, assim até eu consigo superavit!!!

  2. Maria Santos disse:

    Espero que o Governador parede fazer certos tipos de parcerias público privado na CASAL, pois tem onerado a empresa e não siga o que foi recomendado pelo BNDS.

Deixe o seu comentário