5 de setembro de 2016 • 11:26 am

Maceió » Saúde

Estoque baixo leva Saúde a restringir vacina contra hepatite e tuberculose

Desabastecimento está acontecendo em todo o país. Em Maceió, apenas três postos dispõem das vacinas e em doses limitadas

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Foto: Febrasgo

Foto: Febrasgo

A partir deste mês a vacina BGC (contra as tuberculoses graves) só estará disponível em três unidades da capital alagoana, e em dias pré-estabelecidos, informa a Coordenação do Programa Nacional de Imunização (PNI) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Maceió. 

A vacinação contra a Hepatite B será priorizada apenas para recém nascidos e gestantes, até que também seja regularizado o abastecimento no âmbito nacional.

O argumento para as medidas restitivas é de que o estoque está baixo em todo o país e a previsão é de que novo abastecimento só ocorra no final do  mês.

Em Maceió, as unidades que terão disponibilizadas as vacinas são a Ib Gatto Falcão (Tabuleiro),  II Centro de Saúde na Praça da Maravilha (Poço) e Hamilton Falcão (Benedito Bentes). Os dias das vacinações ainda serão divulgados pela SMS.

De acordo com a informação da coordenadora do PNI em Maceió, Eunice Raquel Amorim, esse redimensionamento está acontecendo em todo país e foi uma determinação do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, por conta da situação do abastecimento de alguns imunobiológicos. “Foi necessário adotarmos uma conduta diferenciada, de forma temporária, até que o país normalize o abastecimento das duas vacinas”, destaca ela.

Segundo a SMS, por meio da Nota Informativa de nº 280 o Ministério da Saúde informou que a BCG encontra-se em análise no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) com previsão de liberação ainda para este mês de setembro.

A mesma nota destaca que a vacina da Hepatite B não está sendo distribuída por indisponibilidade de estoque. Segundo o documento, assim que o Ministério receber as ordens de compra enviadas pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), com previsão de data para a chegada do produto nos país, também em setembro, as cargas deverão passar por todos os trâmites de liberação alfandegários e análise do INCQS para posterior distribuição nos estados.

Deixe o seu comentário