13 de setembro de 2017 • 7:13 am

Brasil » Corrupção » Política

Ex-presidente Lula depõe novamente a juiz Sergio Moro hoje em Curitiba

Petista será interrogado por suspeita de envolvimento em esquema de corrupção envolvendo oito contratos entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras

Por: Thiago Sampaio
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O ex-presidente Lula e o juiz Sergio Moro se encontrarão novamente nesta quarta-feira (13), às 14h, em Curitiba, quatro meses após ser interrogado pelo juiz na ação penal que ficou conhecida como a do ‘tríplex no Guarujá (SP)’ e na qual foi condenado a 9 anos e meio de prisão em julho.

Juiz Sergio Moro ouvirá depoimento do ex-presidente Lula nesta quarta-feira

Desta vez, o petista será interrogado no processo em que é réu por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção envolvendo oito contratos, firmados de 2004 a 2012, entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras. Sobre ele recaem acusações de nove crimes de corrupção passiva e 94 de lavagem de ativos. A defesa do petista nega as incriminações.

Segundo denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, o ex-presidente teria recebido a promessa de um terreno para a instalação do Instituto Lula. A oferta, ainda de acordo com o MPF, foi feita pelo ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, em função de Lula ter mantido os executivos Renato Duque e Paulo Roberto Costa em diretorias da Petrobras. Isso teria permitido fraudes e desvios de R$ 75,4 milhões em licitações que contavam com a participação da empreiteira. Desse valor, R$ 12,4 milhões estariam ligados ao caso do terreno.

Apoio Popular

Em apoio ao ex-presidente, a Frente Brasil Popular realizará um ato a partir das 15h, na Praça Generoso Marques, no centro da capital paranaense. Por volta das 18h, após o depoimento, começa o ato político que deve contar com a presença de Lula.

“Eles só querem inviabilizar a candidatura de Lula pois sabem que, se Lula concorrer, irá se eleger presidente, por vontade do povo. Portanto, eles querem criminalizá-lo em um processo arbitrário e sem provas. Ele tem direito de ser candidato. Eleição sem ele é fraude”, afirma o presidente da CUT, Vagner Freitas, em sua conta no Twitter.

O primeiro depoimento de Lula a Moro ocorreu em maio deste ano, no âmbito da ação penal em que era acusado de receber um apartamento da OAS. Na ocasião, cerca de 50 mil pessoas compareceram à capital paranaense.

Deixe o seu comentário