11 de agosto de 2017 • 9:32 am

Brasil » Justiça

Fachin nega pedido de Janot para incluir Temer no ‘quadrilhão’ do PMDB

PGR alega que há uma organização criminosa do partido na Câmara

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) negou pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para a incluir Michel Temer no inquérito que investiga a formação de uma organização criminosa no PMDB da Câmara.

O ministro ainda deu prazo de 15 dias para a Polícia Federal finalizar as investigações do procedimento apelidado de “quadrilhão” do PMDB.

“(…) afigurando-se desnecessária a inclusão formal dos nomes como requerida pela própria autoridade policial, considerando a apuração já autorizada no Inquérito 4.483”, escreveu Fachin.

Fachin: rejeição de processo contra Temer

A PGR havia pedido a inclusão de Temer na investigação na semana passada. A alegação era de que os fatos apurados no procedimento aberto contra o presidente eram desdobramentos do inquérito sobre a organização criminosa do PMDB da Câmara.

Em despacho divulgado na tarde desta quinta-feira, 10, Fachin abriu prazo de 5 dias para Janot se manifestar em relação ao pedido da defesa de Temer que requer seu afastamento das investigações contra o presidente. Leia a íntegra.

O advogado e amigo do presidente, o criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira, alegou que “já se tornou público e notório” que Janot vem “vem extrapolando em muito os seus limites constitucionais e legais inerentes ao cargo que ocupa”.

Fachin decidirá sobre a suspeição após a manifestação de Janot.

Deixe o seu comentário