30 de junho de 2016 • 4:07 pm

Economia

FIEA e parceiros abrem caminho para setor têxtil em Mar Vermelho

Casa da Costura vai aproveitar potencialidades do município, gerando empregos e renda

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
José Carlos Lyra e autoridades no momento da inauguração. Fotos: Divulgação

José Carlos Lyra e autoridades no momento da inauguração.
Fotos: Divulgação

Com a inaguruação, na última quarta-feira, 29, da Casa de Costura Silva, a Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea) deu o primeiro passo para o aproveitamento das potencialidades do setor têxtil e de confecções do município de Mar Vermelho. Com 3.674 habitantes, localizada no Agreste alagoano, a cidade ganhou sua primeira indústria , graças a parceria da Fiea com o Governo de Alagoas, o Sindicato da Indústria do Vestuário (Sindivest), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a Prefeitura do município.

É uma parceria que garante empregos e renda numa cidade de pequeno porte, contribuindo para interiorizar o desenvolvimento industrial e conter o êxodo rural, garantindo a dignidade e o direito às pessoas de obterem o sustento em sua própria terra”, disse o presidente da Fiea, industrial José Carlos Lyra de Andrade.

Para concretizar o empreendimento, a prefeitura doou a área onde ficava a antiga rodoviária, a Fiea construiu o prédio (um investimento de R$ 200 mil), os equipamentos foram doados por meio de convênio com o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep) e a capacitação foi ministrada pelo Senai. Todo o processo foi coordenado pelo Sindivest/AL.

Francisco Acioli, do Sindvest/AL, destaca geração de emprego e desenvolvimento do setor de confecções

Francisco Acioli, do Sindvest/AL, destaca geração de emprego e desenvolvimento do setor de confecções

A Casa de Costura vai gerar, inicialmente, 40 empregos, sendo 10 diretos e 30 indiretos, o que é muito importante para a pequena cidade de Mar Vermelho. Também demonstra a capacidade de produção na área de vestuário, nos segmentos de uniformes e, o foco principal: cama e mesa. O apoio do Sistema Fiea e do poder público é fundamental para estes resultados”, disse o empresário Francisco Acioli, presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário.

Deixe o seu comentário