5 de agosto de 2016 • 4:43 pm

Interior

Fiscalização do IMA multa dez empresas por danos ao meio ambiente

Autos de infração aconteceram nos municípios de Viçosa, Capela, Palmeira dos Índios, Cacimbinhas e São Sebastião

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Agindo com total desprezo ao meio ambiente, dez empresas localizadas nos municípios de Viçosa, Capela, Palmeira dos Índios, Cacimbinhas e São Sebastião foram notificadas pelo Instituto de Meio Ambiente (IMA). No total, as multas aplicadas nas cincos cidades são de mais de R$ 600.000.

Após receber várias denúncias, o IMA  realizou, desde a última terça-feira (2), um mutirão nessas cidades. Logo no primeiro dia de trabalho, fiscais do órgão já encontraram irregularidades nos municípios de Capela e Viçosa. Quatro empresas, entre elas uma granja e três revendedoras de gás foram multadas, no valor de R$ 11.395 cada, por falta de licença ambiental

Próximo ao município de São Sebastião, os fiscais flagraram o descarte irregular de resíduos hospitalares em um terreno baldio. De acordo com Genival Pulcino, da gerência de Monitoramento e Fiscalização do IMA, além da constatação da ausência de licença, houve um agravante em virtude da extensão da degradação ambiental, o que gerou um total de R$ 487 mil em multas para a prefeitura.

Já em Palmeira dos Índios, os fiscais multaram outras duas distribuidoras de gás e um posto de combustíveis. As autuações foram aplicadas no valor de R$ 11.395 mil cada, por falta de licença. Ainda na cidade, eles encontraram uma cerâmica que funcionava sem autorização, o que resultou na interdição e em dois autos de infração, sendo o primeiro no valor de R$ 28.100 por falta de licença de operação, enquanto o segundo, de R$ 11.395, por não haver licença para extração mineral.

Em Cacimbinhas, os técnicos do IMA encontraram situações similares de falta de licenciamento em outro posto de combustíveis e numa sexta distribuidora de gás, autuados também no valor de R$ 11.395 cada. Houve, ainda, o flagrante de um caminhão na BR-316 que transportava hipoclorito de sódio com a licença ambiental vencida, o que resultou em multa no mesmo valor aplicado nos casos das distribuidoras e postos.

 

Deixe o seu comentário