9 de fevereiro de 2017 • 10:37 am

Interior » Maceió » Serviços Públicos

Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos define ações para 2017

Grupo de trabalho reúne Ministérios Públicos de Alagoas, o Federal, o do Trabalho, Governo de Alagoas e o Crea, todos em busca de minimizar o excesso de produtos venenosos que são inseridos no alimento do campo

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL) em companhia dos Ministérios Públicos do Estado de Alagoas, Federal, do Trabalho e demais órgãos, que compõe o Fórum Alagoano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, realizaram uma reunião para traçar metas de ações para este ano de 2017.

Além disso, o encontro também serviu para prestar contas. O coordenador do Núcleo de Agrotóxicos da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), o Eng. Agr. Paulo Melo mostrou os resultados da fiscalização de agrotóxicos nos anos de 20015 e 2016.

“Para 2017, temos uma perspectiva de fazer 458 inspeções no comércio. Também foi colocado 4.130 propriedades para serem vistoriadas e sobre educação sanitária, serão realizadas 36 palestras. Tudo isso é uma parceria com o grupo de Defesa Vegetal e com o Programa de Educação Sanitária”, completou.

No encontro teve novidade. Com o apoio da Junta Comercial de Alagoas e o Sebrae, ficou acordado que os empresários que forem abrir empresas ligadas a comercialização de agrotóxicos, terão que receber a liberação da Adeal.

Metas do Fórum

Coordenador do fórum, o procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) Rodrigo Alencar, passou aos demais presentes o que ficou resolvido como plano de ações para 2017.

“Um dos nossos objetivos é colocar todas as assessorias de comunicação, dos órgãos que fazem parte do fórum, para potencializar e dar publicidade aos trabalhos do fórum”, iniciou.

“Outra importante meta é a capacitação dos, aproximadamente, 120 técnicos sobre o uso dos agrotóxicos e conscientização dos trabalhadores e produtores rurais. Outro ponto como meta é a análise dos resíduos de agrotóxicos em grupos de hortaliças, frutíferas, grãos e entre outras. E um estudo do nível de contaminação de produtores por agrotóxicos”, destacou.

Ao fim do encontro, Rodrigo Alencar agradeceu ao Eng. Agr. e técnico do Crea Alagoas, André Batalhini, pela presteza e dedicação ao fórum. “Confesso que se não fosse ele, não teria nada disso aqui funcionando e quero agradecer também a todos os presentes, pelo empenho. Vamos somar forças para conseguir transformar esse monstro em um monstrinho”, finalizou. A próxima reunião ficou marcada para o dia 10 de abril na sede do Crea.

Deixe o seu comentário