14 de outubro de 2015 • 10:51 am

Brasil

General comandante do Exército vê risco de uma crise social no País

General Vilas Boas falou em video conferência para 2 mil oficiais reservistas temporários.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
General Vilas Boas.

General Vilas Boas.

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou que a atual crise no Brasil pode gerar uma “crise social” que comprometeria a estabilidade do país e, segundo ele, teria relação com as Forças Armadas. As informações são da Folha de S.Paulo.

“Estamos vivendo situação extremamente difícil, crítica, uma crise de natureza política, econômica, ética muito séria e com preocupação que, se ela prosseguir, poderá se transformar numa crise social com efeitos negativos sobre a estabilidade”, enfatizou e prosseguiu: “E aí, nesse contexto, nós nos preocupamos porque passa a nos dizer respeito diretamente”.

Villas Bôas fez as declarações em uma inédita videoconferência na última sexta  para 2 mil oficiais temporários da reserva, os R2. A conversa teve transmissão para oito comandos pelo país e trechos circulam na internet. O ex-governador Roberto Magalhães (DEM-PE) participou do debate.

O militar, escolhido para o comando do Exército pela presidente Dilma Rousseff no início deste ano, descartou a intervenção militar em outras declarações. Ele disse não ver crise institucional e que as instituições funcionam, dando como exemplo a reprovação das contas do governo Dilma pelo TCU. “Dispensa a sociedade de ser tutelada. Não são necessários atalhos nos caminhos para chegar ao bom termo.”

Questionada pela Folha de S.Paulo sobre a crise social dizer respeito ao Exército, a instituição citou artigo da Constituição que afirma que as Forças Armadas “destinam-se à defesa da pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”, sob autoridade presidencial. “Foi com o pensamento de legalidade, de estabilidade e de legitimidade que o comandante do Exército se referiu”, disse em nota.

Segundo o Exército, que tem desenvolvido projeto recente de reaproximação com reservistas, a única intenção do evento foi manter o contato com ex-companheiros. O presidente do conselho de R2, Sérgio Monteiro, terminou a nota publicada após a palestra com os termos: “Os tenentes estão de volta, prontos! Dê-nos a missão!”.

1 Comentário

  1. Maceió,15 de outubro de 2015

    O general tem toda a razão.Ninguém já não aguenta tanto cinismo dos políticos,tanta carestia.Eles não sofrem,pois ganham bem e tem as mordomias.A minha opinião é que esses cafajestes deveriam serem fuzilados.Mas os brasileiros são bestas(tolos).

    Adriel Batista Correia de Melo

Deixe o seu comentário