3 de março de 2017 • 7:41 am

Política

Gestantes do bolsa família em Alagoas vão receber repelentes contra mosquito

Lote de 30 mil repelentes para combater o Aedes Aegypti foi doado pelo Ministério da Saúde

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Ministério da Saúde mandou para Alagoas 29.970 frascos de repelentes que serão distribuídos para cerca de 15 mil gestantes atendidas pelo Programa Bolsa-Família.

Aedes: transmissor de doenças

A ação visa proteger as futuras mamães das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a exemplo da dengue, chikungunya e zika, que tem relação com o aumento dos casos de microcefalia no Estado.

O produto, segundo especificação do Ministério da Saúde, está acondicionado em frascos de 200 ml e tem concentração de 15%, oferecendo 10 horas de proteção após a aplicação. Com isso, segundo o órgão, as gestantes estarão protegidas contra os insetos Aedes aegypti, Culex e Anopheles aquasalis.

O repelente, que está acondicionado no almoxarifado do Componente Especializado da Assistência Farmácia (Ceaf), em Maceió, será distribuído para os 102 municípios alagoanos a partir da próxima semana. Caberá às Secretarias Municipais de Saúde entregar dois frascos mensalmente às gestantes cadastradas no programa, que atende pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica

Segundo Renatha Castro, assessora técnica da Assistência Farmacêutica da Sesau, com a chegada dos repelentes, as gestantes ou aquelas mulheres que desejam engravidar irão redobrar os cuidados, utilizando o produto para evitar a transmissão de doenças. “O combate ao mosquito é uma tarefa permanente da sociedade brasileira. Essa ação é mais uma ferramenta, no conjunto de medidas para prevenir as malformações da síndrome congênita da zika”, afirmou, ao acrescentar que as gestantes procurem os postos de saúde para se informar onde deverão receber esses repelentes.

Proteção- O Ministério da Saúde já recomenda o uso de repelentes para reforçar a proteção conta o Aedes aegypti, em especial às gestantes, pela associação do zika vírus com a microcefalia em bebês. A medida, no entanto, não deve ser a única maneira de evitar a transmissão da doença. É importante que as gestantes adotem ainda medidas simples, que possam evitar o contato com o Aedes, como se proteger da exposição de mosquitos, manter portas e janelas fechadas ou telas, usar calça e camisa de manga comprida.

 

 

Deixe o seu comentário