10 de março de 2017 • 3:23 pm

Brasil » Justiça

Gilmar Mendes diz agora que caixa dois de campanha não é crime

Ministro presidente do TSE assumiu a defesa dos interesses tucanos na corte

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Gilmar Mendes defendeu uma distinção entre modalidades de doação ilegal em campanhas eleitorais; para Gilmar, a culpa do caixa dois é das empresas.

Ministro Gilmar e Aécio Neves

“Agora o caixa 2 tem que ser desmistificado também. Necessariamente ele não significa um quadro de abuso de poder econômico”, disse o presidente do TSE, em meio aos rumores de que o Congresso prepara uma anistia à omissão de recursos recebidos campanhas.

Mendes fez distinção entre as acusações de que tanto a chapa de Aécio-Aloysio quanto a Dilma-Temer tenham recebido caixa 2. “Por que um candidato de oposição vai pedir recurso no caixa 2? Isso talvez tenha mais lógica para a estratégia de quem doa. ‘Ah, eu quero doar no caixa 2 para não ser conhecido, para não ser pressionado'”, afirmou, minimizando eventuais irregularidades da chapa tucana.

O magistrado mais alinhado ao PSDB na Corte disse que a chapa de Dilma tinha necessariamente mais condições de atrair recursos. O ministro também acusou o PT de ter criado uma “corrupção centralizada” e instalar “uma clara cleptocracia [governo de ladrões] no Brasil”.

A mesma tese do ministro tem sido defendida pelas lideranças tucanas, inclusive o presidente do partido, senador Aécio Neves. Gilmar chegou ao STF por indicação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

 

Deixe o seu comentário