8 de Maio de 2015 • 8:45 am

Cotidiano

Governadores do Nordeste debatem crise da economia no encontro de Natal

RF pretende abordar a questão da mudança do indexador das dívidas e a possibilidade dos estados e municípios acessarem o fundo dos depósitos judiciais.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Governadores do Nordeste em encontro com Dilma Rousseff

Governadores do Nordeste em encontro.

A economia nacional e as dificuldades de caixa dos Estados são os pontos centrais do debate desta sexta-feira, 08, no terceiro Encontro de Governadores do Nordeste, que acontece no Centro de Convenções de Natal, no Rio Grande do Norte. O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB) quer debater a convalidação dos incentivos e a unificação das alíquotas do ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços], com o intuito de acabar com a guerra fiscal na região.

Para ele essa medida se constituirá em um grande benefício para todos os estados. Disse também que pretende abordar a questão da mudança do indexador das dívidas e a possibilidade dos estados e municípios acessarem o fundo dos depósitos judiciais. “Esse é um mecanismo importante para fazermos frente à crise em um ano muito difícil para as finanças públicas”, avaliou.
O evento espera contar com a presença do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e do ministro para Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, uma vez que foram convidados. De certeza no encontro estarão os nove governadores da região
No encontro, serão tratados também o ajuste fiscal, a continuidade e a ampliação de investimentos para a região, e os pontos relativos à previdência. O evento termina com a elaboração de uma carta aberta com o pleito de todos os participantes – a Carta de Natal.
O último encontro dos governadores do Nordeste aconteceu em Brasília, durante reunião com a presidente Dilma Rousseff, em 25 de março. Os chefes do Executivo nordestinos apresentaram reivindicações à presidente, entre as quais continuidade dos investimentos federais nos estados por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Minha Casa, Minha Vida; recursos para a saúde e as ações de combate à seca; e unificação dos sistemas de segurança pública.

Deixe o seu comentário