24 de agosto de 2016 • 2:13 pm

Cotidiano » Política

Sem água: Governo declara situação de emergência em 40 municípios alagoanos

Sem água, municípios aguardam repasse do Governo Federal

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Imagem, Exército (Reprodução Internet)

Imagem, Exército (Reprodução Internet)

O governo de Alagoas declarou Situação de Emergência em 40 municípios, por um período de 180 dias, em decorrência  da seca. O decreto foi publicados publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (24), e é requisito necessário para a liberação de recursos federais para retomar a Operação Carro-pipa em Alagoas.

Segundo o secretário executivo da Defesa Civil Estadual, Major Douglas de Magalhães Araújo, o planejamento está pronto e aguarda reconhecimento federal, inclusive para liberar o uso de R$ 4 milhões que restaram da operação passada.  A pretensão é que a operação possa ser reiniciada em outubro.

Os municípios afetados são Água Branca, Arapiraca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Canapi, Carneiros, Coité do Nóia, Craíbas, Delmiro Gouveia, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Igaci, Igreja Nova, Inhapi, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Lagoa da Canoa, Major Izidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Palmeira dos Índios, Pão de Açúcar, Pariconha, Poço das Trincheiras, Piranhas, Quebrangulo, Santana do Ipanema, São Braz, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Traipu.

De acordo com o decreto, houve perdas significativas na agricultura e agropecuária da região do Semiárido alagoano por conta do comprometimento dos reservatórios hídricos. Além disso, restou pouca água para consumo humano e animal, o que foi agravado pela falta de chuvas. Segundo a publicação, os órgãos estaduais localizados nas áreas atingidas, competentes para a atuação específica, deverão adotar medidas para o combate à Situação de Emergência, em conjunto com os órgãos municipais.

Segundo a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), algumas prefeituras têm bancado caminhões pipa com recursos próprios, apesar da crise, enquanto outros têm dependido inteiramente da ajuda levada pelo Exército, que apesar de reduzida, não deixou de chegar.

Deixe o seu comentário


Publicidade