13 de outubro de 2015 • 5:36 pm

Cotidiano

Governo debate utilização do Canal do Sertão com movimentos

A forma de gestão e utilização do canal ainda é uma dificuldade para o governo.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

canal_do_sertaoO governo estadual e representantes dos movimentos sociais decidiram reunir-se para um debate sobre a utilização das águas do Canal do Sertão.

O secretário de Recursos Hídricos, Alexandre Ayres, abriu o debate informando o interesse do Estado em manter um canal de comunicação  com a sociedade, com o propósito de acolher sugestões encaminhadas com benefícios sociais e econômicos às famílias residentes nos municípios por onde o Canal do Sertão opera.

“Precisamos de ações efetivas para o uso das águas do Canal do Sertão. E, justamente por isso, nos reunimos com representantes dos movimentos sociais, municípios e instituições para que este plano de atuação tenha participação de todos. O governador Renan Filho é entusiasta da maior obra hídrica do estado e seu impacto econômico e social precisa alcançar as famílias”, explicou o secretário.

O secretário-adjunto de Infraestrutura, Alzir Lima, também deu as suas impressões sobre a iniciativa do secretário Alexandre Ayres e destacou o incentivo à agricultura familiar. “O estado espera que sejam apresentadas as demandas em relação à infraestrutura e agricultura para proporcionar à cadeia produtiva maiores investimentos”, acrescentou o secretário-adjunto.

O representante da Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seagri), Sílvio Bulhões, reforçou que o governo não tem poupado esforços com o intuito de assegurar mais recursos para a continuidade das obras do Canal do Sertão, que está prestes a entregar o trecho 3.

O prefeito Gualberto Pereira, de Olho d´Água do Casado, que representou a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) falou sobre as dificuldades de irrigação na região sertaneja e lembrou que está de posse de uma série de reivindicações municipalistas.

Durante a primeira reunião desta terça-feira, o Movimento Sem Terra (MPT) e a Comissão Pastoral da Terra (CPT) informaram a seus representantes que devem aguardar a próxima discussão para mostrar ao governo estadual as suas pautas. Estiveram presentes ainda a Desenvolve Agência de Fomento, o Sebrae-AL, Instituto de Desenvolvimento Rural e Abastecimento de Alagoas (Ideral), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Instituto Terra Viva e Zumbi dos Palmares.

O próximo encontro ocorrerá no dia 27 de outubro e cada instituição ou movimento deverá expor as suas principais demandas.

 

Deixe o seu comentário