11 de Maio de 2015 • 11:16 pm

Cotidiano

Governo reabre a escola fazendária que passou oito anos fechada

Desativada no governo de Téo Vilela a escola fazendária voltou a funcionar já capacitando servidores para dinamizar a máquina pública.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Curso reabre a Escola Fazendária fechada no governo Viela

Curso reabre a Escola Fazendária fechada no governo Viela.

Após oito anos fechada no governo de Teotônio Vilela Filho (PSDB) a Escola Fazendária do Estado voltou a funcionar e passa a cumprir sua missão de capacitar os servidores da Secretaria da Fazenda. Essa é considerada mais uma conquista do novo governo, cujo foco de gestão é também incentivar a descoberta de novas habilidades do seu recursos humanos, para dinamizar a enferrujada máquina administrativa.

O ponto de partida da retomada da Escola Fazendária é a realização de um  curso de aperfeiçoamento em “Business Intelligence” para os servidores da Diretoria de Fiscalização (Difis) e Diretoria de Articulação Regional da  Sefaz. O curso foi iniciado nesta segunda-feira,11, e será encerrado no próximo dia 22 de maio. O curso está ligado ao desenvolvimento do banco de dados digitais do governo.

O curso será ministrado no laboratório de informática do Bloco Administrativo Silvio Vianna, em Jacarecica, para duas turmas compostas por 20 servidores e desenvolverá conteúdo prático adaptado às particularidades de cada um dos setores. A iniciativa, explica Eraldo Passos, foi colocada em prática após análise das necessidades de aperfeiçoamento em todo o órgão.

“Realizamos um levantamento nos setores da Sefaz para conhecer as necessidades de cada área. Com o diagnóstico obtido, conseguimos retomar a capacitação dos nossos servidores e planejar, além da etapa atual, as próximas capacitações, que também contemplarão gerências regionais e postos fiscais”, ressalta Eraldo Passos.

Ao longo do ano, outros cursos serão ministrados nas áreas de tecnologia da informação, gestão administrativa, fiscal e técnica. A Efaz criará um banco de instrutores permanente para atender às demandas.

Deixe o seu comentário