4 de julho de 2017 • 12:53 pm

Maceió » Segurança

Guarda Municipal se aquartela nesta terça e denuncia descaso da Prefeitura

Líder dos guardas denuncia estado de abandono da sede, coletes vencidos e reajuste salarial zero

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Cerca de 700 guardas municipais da Prefeitura de Maceió decidiram se aquartelar na sede da companhia em protesto contra o governo Rui Palmeira (PSDB) que há seis meses se nega a negociar o reajuste salarial da categoria.

Guarda Municipal aquartelada. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Segundo denunciou o líder dos agentes da Guarda Municipal, Carlos Pisca, o prefeito Rui Palmeira havia sinalizado para uma negociação num período de 4 meses, “mas já se passaram seis e nada ficou decidido e nem há diálogo por parte da administração”.

Segundo Pisca, este é o pior momento da história da Guarda, considerando que a estrutura da companhia só existe no nome. Disse ele, que quem entra no prédio da Guarda se assusta com o descaso e o estado de abandono.

-A sede se encontra em condições deploráveis com pingueiras por toda parte, paredes mofadas, portas e janelas prestes a desabar de tanta ferrugem. – Destacou.

Do ponto de vista operacional declarou que tudo que os agentes têm atualmente foi fruto de doações da Polícia Federal, Polícia Civil e do próprio governo federal. “Assim como reajuste salarial é zero para o guarda, o investimento da Prefeitura na instituição também é zero nesta administração”, acusou Pisca.

Ainda segundo ele, os agentes estão utilizando 500 coletes à prova de bala, que foram doados pelo governo federal, mas que hoje já estão vencidos e praticamente inservíveis.

“Além disso há 380 coletes que se vencendo dentro de poucos dias. O pior é que desde 2014 a Guarda Municipal tem disponibilizado pelo Governo Federal R$ 2,8 milhões para equipamentos e coletes, mas no entanto o dinheiro não é liberado por falta de projeto do governo Rui Palmeira”, lamentou.

Reajuste – Os guardas municipais estão reivindicando o repasse do índice do IPCA para os salários, na ordem de 6,29%, mais perdas salariais e aumento real, totalizando 16%. Até então não tiveram nenhuma manifestação da Prefeitura de Maceió

 

Deixe o seu comentário