29 de julho de 2017 • 8:27 am

Blogs » Fátima Almeida

Hoje é dia de abraço e de festa em Paulo Jacinto. ‘Por isso eu vou voltar pra lá…’

Baile da Chita mantém tradição e completa 65 anos de sucesso neste sábado

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Foto dos preparativos / Ascom Prefeitura PJ

Hoje é dia de abraço, de reencontro e de sorriso no rosto. É dia de festa para os paulojacintenses – aqueles que residem na cidade (localizada no vale do Paraíba, a 100 quilômetros de Maceió) e aqueles que um dia deixaram a família, o roçado, os amigos de infância e partiram em busca de oportunidades na cidade grande, cheios de saudade da vidinha vivida em Paulo Jacinto.

Muitos cresceram, se dispersaram, se estabeleceram em outras paragens, mas nunca esqueceram a terrinha. E passaram esse apego para os filhos, netos, parentes e aderentes… E sabe o momento em que a maioria sempre dá um jeitinho de voltar e matar essa saudade? No Baile da Chita. Uma das festas mais tradicionais do interior alagoano, que neste sábado completa 65 anos.

O Baile, que nasceu de um movimento político da juventude da década de 1950, pela emancipação política da cidade – à época uma vila pertencente ao município de Quebrangulo – sobreviveu ao tempo e às transformações políticas, culturais, econômicas e  tornou-se uma referência, agora transformada – pela lei estadual nº 7.720/2015 – em patrimônio histórico cultural imaterial do Estado de Alagoas.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Quem nunca ouviu falar no Baile da Chita? Quem nunca foi ou pelo menos não conhece alguém que já foi? Dizem que até Luiz Gonzaga – o Rei do Baião – baixou por lá, curioso por conhecer um tal baile onde todos entoavam, em coro, um das suas músicas, marcando a abertura da festa.

Sim, porque até hoje, uma banda musical para se animar o Baile da Chita, tem que saber tocar e cantar – na abertura, no intervalo e no encerramento da festa – a música ‘Propriá’ (Rosinha de Propriá para os íntimos paulojacintenses).

Mas Propriá é um município sergipano. O que Rosinha de Propriá tem a ver com Paulo Jacinto? Ou melhor, o que Paulo Jacinto tem a ver com a Rosinha e com Propriá?

Isso é outra história, e quem deveria contá-la era Luizito Rocha – o Molambo – um do fundadores do baile; ou os irmãos músicos Fleury, Leureny e Zé Barros –  filhos de Zefinha e Novo Barros. Dizem que foi dona Zefinha quem fez a letra de uma versão da música de Luiz Gonzaga, para servir de jingle da campanha da emancipação.

E ela foi cantada nas ruas, pela turma da boemia politizada da época, mas na hora do baile, realizado para arrecadar fundos para a tal campanha, prevaleceu a versão original, e ‘Rosinha de Propriá’ passou a reinar quase  absoluta na festa. Só perdeu para a Rainha da Chita, outra tradição que atravessou décadas e até hoje é uma das atrações do baile, sempre escolhida entre as cabrochas faceiras do lugar.

Este ano a estudante Erika Vasconcelos, 18 anos foi a escolhida para assumir o reinado.

PROGRAMAÇÃO

Em Paulo Jacinto, baile é Baile e festa é Festa. São duas programações distintas e paralelas, mas tudo termina em Chita

A programação da Prefeitura

A Festa – é realizada pela Prefeitura, com apresentações culturais, mostra de saberes e shows em palco aberto, nos dias 29 e 30.

Na programação, além de nomes como Luan Estilizado, Raphael & Gabriel; Forrozão das Antigas e Ana Lôbo, tem também artistas da terra, como a Banda Aero5 e o vaqueiro cantador Maciel Valente.
A agenda festiva divulgada pela prefeitura começa às 15h, na Praça de Eventos Zefinha Barbosa, com mostras e apresentações culturais, no Espaço Família; bandas de fanfarra, coco de roda, quadrilhas juninas, forró pé de serra, capoeira, quadrilhas juninas e outras atrações no Espaço Festa.

Os show começam às 21h, com Raphael & Gabriel, Ana Lôbo e Maciel Valente no sábado (29) e Banda Aero5
Forrozão das Antigas e Luan Estilizado no domingo (30).

O Baile – é o evento tradicional, organizado pela diretoria do Clube Cultural Recreativo Paulojacintense, e realizado na própria sede do clube.

Começa às 23h do dia 29 e os ingressos custam R$ 30 para sócios do clube e R$ 35 para não sócio; a mesa para 4 pessoas custa R$ 130 reais (sócios) e R$ 150 não sócios.

A animação fica por conta da Orquestra High Society e de Fabrício do Acordeon e Trio Pé de Serra.

Mais informações com Zé Barros – (82) 99978-1040; Fleury Filho – 99915-7599; ou Lucas França – 99995-7920/99355-2924

DICAS

Bom, se você pretende ir, e é sua primeira vez, vão algumas dicas

1- Se tiver uma roupa de Chita, faça uso. Não é obrigatório, mas ajuda a manter a tradição. Na falta, vale um vestidinho estampado, mesmo que de outro tecido.

2 – Leve um agasalho. Costuma fazer muito frio nesta época do ano.

3 – A cidade é pequena, sem muita opção, mas sempre tem onde fazer um lanche, uma alimentação simples. Tem as comidas típicas do Espaço Família, e ninguém vai morrer se comer um passaporte, né não?

4 – Prepare-se. Onde tem cinco paulojacintenses reunidos em festa, seja em qual for o lugar, em algum momento você vai ouvir: ‘Aiai, Uiui, Eu tenho que voltar. Aiai, uiuui. A minha vida tá todinha em Propriá’.

Oxe. Sabe não, é? Pois segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=z5DSjjLDZi8Trate de gravar num pendrive e vá aprendendo durante a viagem.

Por falar nisso, você vai? A gente se encontra por lá.

Fuuuui!

Deixe o seu comentário