17 de Maio de 2017 • 12:50 pm

Brasil » Cotidiano

Homofobia: Brasil é o País que mais mata gays e lésbicas no mundo

Levantamento foi feito para lembrar o Dia Internacional contra a homofobia

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Em 2017, até o início deste mês, 117 pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) foram assassinadas no Brasil devido à discriminação à orientação sexual. A informação é do Grupo Gay da Bahia (GGB), que participa de programação sobre o tema durante toda esta quarta-feira, 17, Dia Internacional Contra a Homofobia.

Banner do governo do Estado para as redes sociais.

A data passou a existir em homenagem à retirada do termo “homossexualismo” da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID) da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 17 de maio de 1990, e visa conscientizar a população sobre a luta dos homossexuais, transexuais e transgêneros. Infelizmente, em pleno século XXI ainda há quem ignore, discrimine e até agrida fisicamente representantes dessa classe, baseado em algo irracional e sem sentido: o ódio à diferença.

Em 2016, por exemplo, o Grupo Gay da Bahia, por meio de um levantamento divulgado no blog Homofobia Mata, mostrou que mais de 343 mortes no Brasil foram causadas por crimes de homofobia. Todos os dias as pessoas acompanham casos e mais casos das mais diversas formas de discriminação à população LGBT.

Na Folha – Segundo reportagem do Jornal Folha de S. Paulo, o Brasil, que exportou as duas transexuais mais requisitadas no mundo da moda – Valentina Sampaio e Lea T. – “também é o País que mais mata transgêneros no mundo”.

Ainda segundo a Folha, o último relatório da Associação Internacioal de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transgêneros e Interssexuais (ILGA), o Brasil ocupa o primeiro lugar em homicídios de LGBTs nas Américas, com 340 mortes por motivação homofóbica.

Em Maceió, o governo do Estado destribiu mensagem nas redes sociais em alusão ao Dia Internacional Contra a Homofobia.

Deixe o seu comentário