11 de abril de 2016 • 4:30 pm

Interior

Ifal transforma resíduos de mandioca em biogás e biofertilizante

Tecnologia algaoana vai ser exportada para a Embrapa na Bahia

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Os resíduos descartados pelas casas de produção de farinha e fécula em Alagoas apresentam um alto grau de poluição ao solo e cursos de água.

Mas uma experiência feita pelo Instituto Federal de Alagoas (Ifal) – Campus Marechal Deodoro conseguiu transformar esses resíduos em biogás e biofertilizante. Os resultados da pesquisa, coordenada pelo professor Vicente Cézar, serão compartilhados em maio no “Curso sobre cultivo e processamento de mandioca”, na Embrapa na Bahia.

mandioca planta

A mandioca é produzida em larga escala em Alagoas

 
O evento será realizado de 2 a 6 de maio, no município baiano de Cruz das Almas. O Ifal – Marechal Deodoro também participa do evento com o professor Lucio Madeiros, que apresentará os resultados de uma pesquisa sobre os sistemas de produção de mandioca em Arapiraca, São Sebastião e Viçosa. O estudo compara o plantio e o desenvolvimento de variedades diferentes de mandioca nos três municípios alagoanos. 
 
As pesquisas irão ajudar na capacitação de produtores em técnicas recomendadas e manejo da cultura da mandioca, contribuindo para aumentar a produção e a renda de agricultores do Nordeste. O evento é organizado pela Funarbe (Fundação de Apoio à Universidade Federal de Viçosa) e tem 30 vagas abertas. A inscrição custa R$ 200 e pode ser feita até 29 de abril pelo site https://eventos.funarbe.org.br/detalhes/curso-sobre-cultivo-e-processamento-de-mandioca.

Deixe o seu comentário