4 de junho de 2015 • 1:45 pm

Cotidiano

Igreja celebra corpus cristhi com procissão pelas ruas do centro de Maceió

Celebração será encerrada na praça dos Martírios onde será celebrada uma missa.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

procissãoA partir das 15 horas desta quinta-feira, a igreja católica dará inicio a procissão de Corpus Cristhi, como acontece tradicionalmente na capital alagoana. A procissão sairá da catedral metropolitana, percorrerá as ruas do centro e a cerimônia religiosa será encerrada com uma missa na praça dos Martírios.

De acordo com a Arquidiocese, a celebração sempre acontece em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.

“O que come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e, eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. O que come deste pão viverá eternamente” (Jo 6,55-59).

Através da Eucaristia, Jesus nos mostra que está presente ao nosso lado, e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e se entrega por nós.

A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.

Deixe o seu comentário