14 de novembro de 2017 • 6:55 am

Política

Imbassahy estuda migrar para o PMDB para ser remanejado em reforma ministerial

Trocas nas pastas de ministros do PSDB são dadas como certas até o final de novembro por assessores do Planalto

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O ministro da Secretaria de Governo e um dos maiores defensores do presidente da República, Michel Temer, Antonio Imbassahy (BA), estuda sair do PSDB e se filiar ao PMDB, sigla do presidente e dos demais ministros do núcleo duro do governo, Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil).

Além do racha interno vivido pelo PSDB, outro fator que pesa a favor da troca é a ascensão de seu adversário político na Bahia, sua base eleitoral, deputado Jutahy Júnior, para a disputa do Senado em 2018. Com a migração de partido, o tucano seria remanejado nas mudanças da reforma ministerial do governo.

Imbassahy, cujo ministério é responsável pela articulação política do Planalto, faz parte da chamada “ala Jaburu” do PSDB, que defende Temer e não quer o desembarque do partido do governo.

Os tucanos estão divididos há meses e a crise interna se agravou na semana passada com a destituição do então presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE), pelo presidente titular, senador Aécio Neves (MG).

Este tinha se afastado do cargo devido ao suposto envolvimento em esquemas de corrupção com delatores do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS. A delação do grupo ao Ministério Público Federal também serviu como base para as denúncias oferecidas pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Trocas nas pastas são dadas como certas até o final de novembro por assessores do Planalto, ainda mais após o pedido de demissão do ministro das Cidades, Bruno Araújo.

Deixe o seu comentário