21 de dezembro de 2015 • 3:56 pm

Blogs » Fátima Almeida

Impeachment: sim ou não? Pesquisa aponta tendência na Câmara dos Deputados

Segundo o Datafolha maioria dos deputados votaria pelo afastamento da presidente, mas votos ainda não são suficientes para derrubá-la.

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

pesquisaA situação é difícil, para a presidente Dilma, e disso todo mundo já sabe. Mas nem tudo está perdido, e ela sabe disso. Uma pesquisa divulgada hoje, pelo Instituto Datafolha, mostra, sim, que a maioria dos deputados com mandato na Câmara Federal votaria a favor do impeachment.

Porém, o número indicado não seria suficiente para definir a questão, já que o afastamento só pode ser aprovado se 2/3 (dois terços) da Câmara disserem ‘sim’. Ou seja: seriam necessários 342 votos.

De acordo com a pesquisa realizada no período de 7 a 18 deste mês, o impeachment teria o ‘sim’ de 42% dos deputados (o equivalente a 215 votos); enquanto 31% (159 parlamentares) votariam ‘não’. Na matemática constitucional seriam necessários mais 127 votos a favor, para o pedido de impeachment ser aprovado.

Por outro lado, basta atingir o percentual de 1/3 mais 1 (um terço mais 1) de votos contrários, para o pedido ser rejeitado. Nesse caso, a presidente Dilma precisaria conquistar apenas mais 12 votos para somar os 171 de que necessita para se manter no cargo.

No meio da disputa, tem um percentual de 27% – o equivalente a 138 parlamentares – que permanecem indecisos ou não responderam à pesquisa. É daí que sairá a decisão sobre a sustentação ou queda da presidente da República.

Se for aprovado na Câmara, o pedido de impeachment ainda será apreciado no Senado, onde a regra é diferente. Lá, a decisão é por maioria simples (50% mais 1).

O problema é que, segundo a pesquisa, 26% dos votos a favor do impeachment estão entre partidos da própria base aliada do governo, entre eles, o PMDB. O levantamento mostra que 33% da bancada do partido do vice-presidente Michel Temer (que é o mesmo de Eduardo Cunha) votariam para derrubar a presidente Dilma e apenas 20% estão decididos a votar contra o impeachment. Os demais (quase 48%) não se posicionaram. Ainda.

TÁ DIFÍCIL

Enquanto isso, a torcida pela queda de Eduardo  Cunha da presidência da Câmara ganha dimensão cada vez mais majoritária entre os colegas de parlamento. Segundo a pesquisa do Instituto DataFolha, hoje, 62% dos deputados acham que ele deveria renunciar ao cargo.
Na pesquisa anterior, realizada de 19 a 28 de outubro, a renúncia de Cunha era defendida por 45% dos deputados.
O Datafolha também perguntou sobre uma eventual votação pela cassação do peemedebista, e nesse caso, os que pretendem votar contra ele somam 60% (eram 35% na pesquisa anterior). Apenas 8% afirmam que votariam contra a cassação (antes eram 13%). Os demais estão indecisos ou não opinaram.

Confira a pesquisa no site:

www1.folha.uol.com.br/poder/2015/12/1721448-entre-deputados-42-sao-pro-e-31-contra-o-impeachment.shtml

 

Deixe o seu comentário