1 de setembro de 2015 • 12:27 pm

Política

Improbidade: Operação do Gecoc prende três pessoas em Viçosa

De acordo com o Ministério Público, o alvo da operação é o Executivo municipal. O prefeito Flaubert Filho não foi localizado.

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

prisaoUma operação do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), junto com a Promotoria de Justiça de Viçosa prendeu, na manhã desta terça-feira, o ex-secretário de Finanças do município, Maxwel Carbaúba e dois funcionários da Prefeitura: um do setor de Recursos Humanos Humanos e uma servidora da Saúde.

O Ministério Público Estadual (MPE) ainda não deu detalhes sobre a operação, mas confirmou que ela foi deflagrada logo cedo, tendo como alvo o Executivo municipal. As pessoas detidas estão sendo ouvidas, neste momento, pelo promotor da cidade, Anderson Cláudio Almeida Barbosa. Ele informou que a operação está em andamento, e que existem outros mandados a serem cumpridos, mas não confirmou os nomes.

Informações extraoficiais dão conta de que o prefeito Flaubert Torres Filho (PPL) também estaria sendo procurado. A reportagem do Eassim.net não conseguiu localizá-lo por telefone. Em sua página pessoal, no Facebook, a última atualização feita foi no último domingo (30).

Ontem, o Ministério Público Estadual interpôs um agravo regimental contra a decisão da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJ/AL), que determinou a recondução de Flaubert Filho ao cargo de prefeito. Ele estava afastado desde o mês de maio, por determinação da juíza da Comarca de Viçosa, Lorena Sotto-Maior, em resposta a uma ação de improbidade administrativa movida pelo MPE, contra Flaubert, o secretário Maxwell Carnaúba Passo e mais alguns funcionários da Prefeitura. Retornou ao cargo no mês passado.

Flaubert e Maxwel são acusados de fraudes em licitação e de recebimento irregular de diárias por viagens não realizadas, constituindo uma espécie de 2º salário para ambos, com prejuízos acumulados em mais de R$ 150 mil ao erário, durante o ano de 2014. Flaubert também responde a outros processos, um deles por desvio de recursos do Instituto de Previdência dos servidores do Município.

O promotor Anderson Cláudio prometeu mais informações tão logo a operação seja concluída e as oitivas encerradas.

Atualizações: No início da tarde o Ministério Público informou que o prefeito Flaubert Torres Filho não foi alvo da ação desencadeada hoje.  Informou também que os funcionários detidos junto com o secretário Maxwel Carnaúba foram Alexandra Teixeira e Jofson da Silva Nascimento.

Deixe o seu comentário