1 de Maio de 2016 • 10:18 pm

Política

Inclusão: Parceria vai facilitar acesso de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Há oportunidades nos canteiros de obras da construção civil, inclusive para reabilitandos do INSS

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Foto: Assessoria FIEA

Foto: Assessoria FIEA

Precisa-se de pessoas com deficiência nos canteiros de obras, em Alagoas. Há oportunidades, também, para reabilitandos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Para receber qualificação profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e preencher essas vagas, por meio do Projeto Construir, os interessados podem enviar seus currículos para o e-mail rsocial@ademi-al.org.br.

Convênio nesse sentido foi assinado na última quita-feira (28), na Casa da Indústria Napoleão Barbosa, entre o Senai, o setor da construção civil – por meio do Sinduscon e da Ademi –, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e o INSS. “É uma iniciativa que tem tudo para dar certo”, afirmou o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), José da Silva Nogueira Filho.
A solenidade de assinatura ocorreu durante a reunião mensal da diretoria da Fiea, na Casa da Indústria. Além da inclusão produtiva dessas pessoas, o projeto vai ajudar as empresas a se adequarem à legislação. “As empresas terão melhores condições de cumprir a lei de cotas e as pessoas de conquistar o mercado de trabalho. No caso dos reabilitandos do INSS, uma chance de retornar ao trabalho”, disse superintendente do Trabalho e Emprego em Alagoas, Israel Lessa.
Conforme a Ademi, construtoras alagoanas estão sendo notificadas pela SRT para o cumprimento das cotas de pessoas com deficiência em seus quadros de funcionários, que deve chegar a 5% de acordo com o porte da empresa. Outras ainda não preencheram todas as vagas necessárias que também podem ser ocupadas por reabilitandos do INSS.
Os selecionados, além de ganharem uma bolsa no valor de meio salário mínimo, com todas as garantias trabalhistas, a exemplo do 13º salário, não perderão o Benefício da Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social (BPC/LOAS). Será uma renda extra.
Os Programas de Qualificação Profissional serão dois de Aprendizagem Industrial Básica em Processos Construtivos e um de Aprendizagem Industrial de Nível Técnico de Segurança do Trabalho, ambos com 1.920 horas.

Deixe o seu comentário