1 de julho de 2015 • 7:46 am

Brasil

Joaquim Barbosa diz que maioridade é insensatez e lembra visita que fez a Maceió

“Desconfiemos dos propósitos e da ideologia dessa maioria parlamentar que quer impor a sua agenda ao nosso país”, disse Barbosa.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Barbosa quando em visita a unidade em Maceió.

Barbosa quando em visita a unidade em Maceió.

Brasil -O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, classificou  como ‘insensatez’ a proposta de redução da maioridade penal que está sendo apreciada pela Câmara, na noite desta terça-feira (30). De acordo com o ex-ministro, os deputados estão “brincando com fogo”.

“Eu apoio integralmente a posição do governo federal, contrária à redução da maioridade penal. Estão brincando com fogo!”, disse Barbosa em seu Twitter. “Quem conhece as prisões brasileiras [e os estabelecimentos de ‘ressocialização’ de menores] não apoia essa insensatez”, complementou o ex-presidente do Supremo.

“A violência já é uma das marcas do Brasil. Estão adicionando um poderoso combustível a essa violência. Aguardem”, complementou o ex-presidente do Supremo no Twitter. “Desconfiemos dos propósitos e da ideologia dessa maioria parlamentar que quer impor a sua agenda ao nosso país”, alfinetou Barbosa. “Ao visitar um centro de confinamento de menores de um estado do Nordeste, presenciei umas das mais chocantes cenas de horror da minha vida”, complementou.

Em Alagoas – Quando presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa visitou o Centro de Internação de Menores de Maceió e saiu horrorizado com as coisas que viu. O governo era o de Teotônio Vilela Filho (PSDB) e o ministro chegou a ficar irritado com estado deplorável na unidade de ressocialização.

Disse ele na época que a situação nas unidades de internação de menores em Maceió é de completa insalubridade e que as mesmas não têm condições de permanecer da forma como se encontram. Ele também afirmou que os internos estão vivendo em ‘verdadeiras jaulas’, citando o ambiente inadequado dos alojamentos.

Deixe o seu comentário