13 de dezembro de 2017 • 10:07 pm

Brasil » Política

Jucá diz que Reforma da Previdência foi adiada para fevereiro, mas planalto nega

O Palácio do Planalto afirmou, por meio de nota divulgada na noite desta quarta-feira, que ainda discutirá a data da votação

Por: Vinicius Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), informou no final da tarde desta quarta-feira (13) que há um acordo entre os presidentes da Câmara e do Senado para que a reforma da Previdência seja votada somente em fevereiro.

A informação foi divulgada em nota da assessoria de imprensa do senador e confirmada pessoalmente pelo senador em seguida, durante entrevista coletiva.

Jucá afirmou que a decisão de adiar a reforma foi tomada por causa do baixo quorum que deve haver no Congresso na próxima semana, por causa da antecipação da votação do Orçamento de 2018.

Palácio diz que data segue mantida

O Palácio do Planalto afirmou, por meio de nota divulgada na noite desta quarta-feira (13), que ainda discutirá a data da votação da reforma da Previdência com os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“O presidente Michel Temer espera ainda para amanhã a leitura da emenda aglutinativa do deputado Arthur Maia sobre a reforma da Previdência. Somente depois disso, o presidente discutirá com os presidentes do Senado Federal, Eunício Oliveira, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a data de votação da proposta”, informou, em nota, a secretaria especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Temer foi para São Paulo nesta quarta-feira (13) para passar por um procedimento cirúrgico. De acordo com a nota, ele retorna nesta quinta-feira para Brasília.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, marcou o início da discussão sobre a reforma no plenário para esta quinta-feira (14) e o governo esperava votar o texto na semana que vem. Para isso, porém, ainda trabalha para garantir os 308 votos necessários para aprovar a proposta.

Deixe o seu comentário