19 de julho de 2017 • 8:23 am

Cidadania » Cultura

Julho das Pretas: evento na Ufal destaca o ativismo das mulheres negras

Programação acontece nesta quarta-feira (19), a partir das 14h30, no auditório do ICHCA e tem como foco o legado da feminista Lélia Gonzales

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Ilustração / Divulgação

O Núcleo Temático Mulher e Cidadania (NTMC) e a coordenação do curso de História da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) promovem, nesta quarta-feira, um debate no Instituto de Ciências Humanas Letras e Artes (ICHCA), no Campus A. C. Simões, dentro da programação da 5ª edição do Julho das Pretas. A atividade é uma parceria com a Rede de Mulheres Negras do Nordeste.

O evento, focado no tema ‘Ativismo de Lélia Gonzalez: um percurso do feminismo da mulher negra’ e terá uma mesa de debates coordenada pelas professoras Maria Aparecida Batista de Oliveira e Clara Suassuna Fernandes, com a presença da psicóloga Vanda Menezes, e das professoras Fátima Viana e Regina Lopes, do Instituto Feminista Jarede Viana.

A programação no ICHCA também conta com uma exposição sobre a vida e obra de Lélia Gonzalez como ativista e feminista negra.

Sobre o tema 

No dia 25 de julho comemora-se o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha (criado em 1992, no 1º Encontro de Mulheres Afro-Latino Americana e Afro – Caribenhas); e o Dia Nacional de Tereza Benguela e da Mulher Negra (estabelecido pela Lei 1214, criada pela então presidenta Dilma Rousseff), cuja diretriz é o reconhecimento da luta histórica de resistência da mulher negra, a todas as formas de opressão, discriminação, violência de gênero, raça, classe, diversidade sexual e religiosa, a que estão submetidas no contexto de sua história.

Em alusão a esse dia, coletivos feministas e negros se articulam nacionalmente com a construção do Julho das Pretas, evento que, em Maceió, está trazendo palestras debates e exposições. As ações contam ainda com o apoio dos coletivo Feminista Jarede Viana, Inaê e Afrocaeté; da Organização Anajô; e das instituições Cedim, Conepir, Fapeal, Adufal e Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos.

Para mais informações sobre a programação, acesse a página do evento.

Deixe o seu comentário