9 de Março de 2016 • 6:58 pm

Política

Lula nega convite para ministério e disse que não cogita essa possibilidade

O ex-presidente disse aos senadores estar indignado com a ação da Polícia Federal da última sexta-feira

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O ex-presidente Lula negou nesta quarta-feira, 09, ter recebido um convite para assumir um cargo no primeiro escalão do governo Dilma Rousseff. Em reunião com senadores na residência oficial da presidência do Senado, em Brasília, o petista também disse não cogitar essa possibilidade. Participaram do encontro cerca de 20 parlamentares de diferentes partidos.

Parlamentares solidários a Lula  (José Cruz/Agência Brasil)

Parlamentares solidários a Lula (José Cruz/Agência Brasil)

Ao chegar ao Senado, o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) disse que a conversa com o ex-presidente não foi conclusiva. Renan relatou que Lula negou ter recebido qualquer convite para assumir um ministério e que não cogita essa possibilidade. “Ele disse que quer ajudar o Brasil, quer ajudar o governo, e que para fazer isso ele não precisa ser nomeado ministro”, afirmou.

O líder do PMB no Senado, Hélio José (DF), avaliou que o ex-presidente não parecia animado com a ideia. De acordo com o senador brasiliense, alguns colegas consideram interessante Lula assumir o comando de um ministério. “Alguns são favoráveis a isso, outros são contra. Eu pessoalmente não acredito que seja a melhor saída. Acho que Lula faz um papel melhor na coordenação política”, disse o senador. “Ele falou sobre a necessidade de fazermos um pacto político para superar a crise.”

Indignação – De acordo com parlamentares presentes, além de negar a possibilidade de assumir um ministério, Lula falou sobre as denúncias envolvendo o sítio em Atibaia (SP) e o apartamento tríplex no Guarujá. No encontro de aproximadamente três horas, o ex-presidente disse estar indignado com a ação da Polícia Federal da última sexta-feira (4), quando foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento sobre os imóveis investigados.

O ex-presidente argumentou, segundo relatos de senadores, que nunca negou fornecer qualquer esclarecimento sobre os casos, e disse aos parlamentares presentes que não comprou o apartamento no Edifício Solaris, no Guarujá, porque percebeu que os 200 metros quadrados do imóvel, divididos por três andares, seriam um desconforto – por isso um elevador foi instalado. Lula disse que, por conta da sua idade, não poderia ficar subindo e descendo escadas o tempo todo.

O presidente do Senado, porém, disse que Lula teria minimizado as discussões sobre a Lava Jato. “Não tratamos das investigações, mas todos entendemos que elas devem avançar no devido processo legal, com todo o respeito à Constituição Federal”, disse o peemedebista, e acrescentou que Lula declarou que não quer colaborar com o acirramento da crise “para botar fogo no país”.

Deixe o seu comentário